Nova gravação de Joesley mostra suposto acerto de propina com ministro de Temer

No áudio, titular do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Marcos Pereira (PRB), fala com o empresário sobre valores 

| Foto: José Cruz/Agência Brasil

O empresário Joesley Batista apresentou à Justiça um novo áudio para tentar provar que ele pagou propina ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Marcos Pereira (PRB). A afirmação havia sido feita em maio desse ano, durante depoimento dele para o Ministério Público Federal (MPF).

Segundo Joesley, ele fez vários pagamentos de R$ 500 mil ao ministro durante o ano de 2016. O acordo era de que ele pagaria R$ 6 milhões à igreja de Marcos Pereira, a Universal, uma afirmação comprovada por mensagens trocadas entre eles e entregues aos investigadores. A propina teria sido acertada para que ele conseguisse um empréstimo de R$ 2,7 bilhões com a Caixa Econômica Federal.

A defesa de Marcos Pereira afirmou que não vai comentar “pretensas gravações ilícitas” e que seus advogados já procuraram o Supremo Tribunal Federal (STF) para comunicar sua intenção de colaborar para provar sua inocência.

Uma resposta para “Nova gravação de Joesley mostra suposto acerto de propina com ministro de Temer”

  1. Avatar João Luiz Pereira Tavares disse:

    O PT não é uma esquerda esclarecida. Nunca será.
    A carência do Brasil é de arte de qualidade! O PT ama e venera a indústria cultural. Cultura de massas.
    Sobretudo a música atual ruim.
    Che Guevara é ícone da esquerda. Um ícone da industria cultural da esquerdista. Cultura de massas. Com certeza Kitsch.
    O “algo mais” do PT na arte e na cultura:
    O PT detesta a cultura popular e a erudita ao mesmo tempo.
    Por exemplo, Yamandu Costa é música de qualidade. Não tem nada a ver com o PT, ok?
    Inclusive música para poucos brasileiros (por ser complexa), ou seja:
    de “elite”. Assim como Machado de Assis, Villa-Lobos são arte de elite, sim.
    O mesmo Dostoyevsky. Elite honrosa.
    Não se trata do lixo bem tragável de que o PT gosta, venera, ama e adora, não.
    E, por outro lado, o bem centrado MBL [Mov. Brasil Livre] em seu papel empírico, em 2016 faz jus ao nome dessa sigla, certo?
    A diminuição do poder vigarista do PT com a saída de Dilma em 2016, — mesmo com Lula solto hoje –, foi fortemente permitido devido ao MBL.
    Empírico, corajoso e pragmatista, o Arthur do “Mamãe Falei” ajudou bastante a desconstruir o discurso ideológico do PT através do método socrático. MBL e o Arthur lutam contra o lixaço da doutrina petista (conhecida como Petismo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.