Noivas são vítimas de golpe e ficam sem decoração e serviços no dia do casamento

Procon e Decon de Goiás investigam Charles Eventos. Proprietários e funcionários não foram encontrados em nenhuma das três sedes

Foto: Procon-GO/Divulgação

A noiva Karoline Fernandes casou-se na última quarta-feira (6/8), mas o casamento quase não ocorreu por conta da falta de entrega de parte dos serviços. “Faltaram algumas cadeiras, mesas e parte da decoração”, reclamou ela em entrevista ao Jornal Opção.

“Foi incompleto, mas consegui o que queria”, disse. Mesmo feliz com o sonho realizado, Karoline afirmou que R$ 4.100 que ela pagou na semana da cerimônia não foram revertidos em atividades e materiais necessários. A empresa contratada e suspeita de ter aplicado o golpe é a Charles Eventos, que lesou ainda outra noiva.

Renata Arrais, que se casou na última sexta-feira (8), disse que o proprietário, Jefferson Charles, não atendeu nenhuma ligação no dia e não decorou nem a Igreja nem o local da recepção. “Fiquei sabendo apenas depois, já que fui poupada pelos organizadores, e ainda não avaliei os gastos extras que tive que fazer para que o casamento acontecesse na última hora”, disse.

A noiva, que está se preparando para a lua de mel, prestou queixa na Delegacia do Consumidor (Decon) e pretende entrar com um processo.

Acontece que as duas noivas parecem ser apenas as primeiras lesadas pela empresa. Após denúncia de sete casais, a Charles Eventos está sendo investigada por aplicar o golpe contra pelo menos 20 clientes em Goiânia. De acordo com investigações, quem está com casamento agendado não está conseguindo contato com a empresa por e-mail e telefone.

Segundo a gerente de Atendimento ao Consumidor do Procon, Rosânia Nunes Ferreira, as vítimas relataram que contrataram serviços e o proprietário sumiu sem dar maiores satisfações ou previsões. “A Charles Eventos tem 3 CNPJs diferentes. As equipes de fiscalização já foram lá hoje e apenas um conta com fachada. Ninguém foi encontrado”, afirmou.

Rosânia disse ainda que, em um dos endereços, a empresa foi despejada por conta de atrasos no pagamento do aluguel.

De acordo com a gerente, os consumidores lesados devem procurar o Procon e a Decon com o contrato assinado, documentos pessoais e comprovante de endereço. “Estamos instaurando processo administrativo para multá-los, iremos fazer audiências de conciliação que, caso não gerem resultados, podem viram processos para restituição dos valores pagos”, afirmou.

O Jornal Opção tentou contato com o delegado responsável pela Decon, mas até o momento ele não atendeu as ligações. O proprietário da empresa também não foi localizado para comentar o caso.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Milton Reis

Boa tarde, a mídia não está nos atualizando quanto a esse caso depois de sua publicação.
O dono da empresa prestou depoimento na DECON na tarde de ontem mas não sabemos os próximos passos.

Por favor, nos mantenham atualizados.

Obrigado,

Milton Reis