Nas redes sociais, Marconi confirma pagamento de benefícios para Educação em junho

Governador gravou vídeo para informar que pacote com todos os benefícios começa a ser pago, conforme prometido, neste mês

Reunião entre o Sintego e o governo de Goiás | Foto: govGO

Em vídeo para seus seguidores nas redes sociais, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), anunciou, nesta quinta-feira (22/6), que todos os benefícios do pacote para a Educação serão pagos, conforme compromisso assumido com os professores, na folha e na programação de custeio deste mês de junho.

“Trago uma ótima notícia para vocês. Eu acabo de autorizar a inclusão de todos os benefícios do pacote da Educação para a folha desse mês”, disse o governador, no vídeo, postado no Facebook, no Twitter e no Instagram. “Os benefícios foram concedidos para os servidores, com foco no futuro de nossos alunos”, completou.

O pacote foi aprovado pela Assembleia Legislativa e já é lei. “Nós aprovamos com os nossos deputados da base aliada todas as medidas de reajustes para os servidores da Educação, como o vale-alimentação, aumentos para os temporários, técnico administrativos, (professores) P1, P2, P3 e P4”, afirmou. O governador disse que também estão assegurados os repasses para o transporte escolar e para a merenda escolar.

“Isso tudo já virou lei e nós estamos incluindo na folha de pagamento. A professora Raquel está tomando as últimas providências e agora à tarde eu incluo definitivamente a inclusão na folha”, afirmou o governador. O conjunto de medidas para a Educação foi apresentado aos servidores e à população no dia 4 de maio pelo governador Marconi Perillo, em solenidade realizada no Palácio da Música do Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON).

Durante o ato, Marconi anunciou investimentos de R$ 510 milhões em obras, por meio do Goiás na Frente Educação, realização de concurso público, reajustes salariais e concessão de gratificações, a renovação de programas de ensino-aprendizagem, reajuste no repasse do transporte escolar e entregou 75 ônibus.

As medidas estabeleceram reajuste de 7,64% aos professores efetivos do P-1 ao P-4, criação de uma gratificação que equipara a remuneração dos profissionais da ativa do quadro transitório ao dos professores do quadro permanente, autorização do concurso público para 1.000 vagas (900 para professores e 100 para administrativos), criação da Gratificação por Dedicação em Período Integral (GDPI) para os professores que lecionam nas escolas de tempo integral, reajuste de 21% para os servidores administrativos e de 34% para os temporários, além de criação do vale-alimentação no valor de R$ 500,00 para todos os servidores (efetivos, temporários e comissionados). As medidas valerão a partir de junho.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.