“Não há indícios de homicídio”, diz delegado sobre morte de jovem na UFG

Lucas Silva Mariano morreu na tarde de sábado (24) depois de cair na máquina que mistura e tritura ração bovina. Vítima cursava medicina veterinária na UFG

Lucas Silva Mariano tinha 21 anos e cursava medicina veterinária na UFG

Rafaela Bernardes

A morte do estudante de medicina veterinária Lucas Silva Mariano, de 21 anos, será investigada pelo delegado Cláudio Antônio da Silva, responsável pelo 25ª Distrito Policial de Goiânia. O caso, que havia sido registrado na Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH), foi encaminhado para a delegacia que responde pela região do Itatiaia por não haver indícios de homicídio.

“A DIH registrou a ocorrência, fez as primeiras diligências como a perícia do local, o exame cadavérico e a identificação das testemunhas. Agora, como não há indícios de que tenha sido um homicídio o caso foi encaminhado para a delegacia responsável pela região onde aconteceu a morte do estudante”, explicou ao Jornal Opção o delegado e assessor da Polícia Civil, Gilson Mariano.

Cláudio Antônio da Silva informou que até a tarde desta segunda-feira (26/6) o inquérito ainda não havia chegado à delegacia e que a polícia aguarda a conclusão dos exames periciais feitos no local.

“Assim que o caso chegar começaremos o trabalho de investigação. Caso seja comprovado que a morte do estudante foi acidental a Polícia Civil concluiu o inquérito e pede o arquivamento do caso ao Poder Judiciário. Agora, se ficar comprovada alguma negligência que resultou na morte do jovem, o responsável por isso irá responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar)”, explicou ao Jornal Opção.

Morte

Lucas Silva Mariano, de 21 anos, cursava o 5ª período da faculdade de medicina veterinária na Universidade Federal de Goiás (UFG). Na tarde de sábado (24) o estudante participava de um estágio na área de confinamento bovino quando foi esmagado pela máquina que mistura e tritura a ração dos animais.

O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado mas o jovem morreu no local. Um servidor da UFG, que não quis ser identificado, falou ao Jornal Opção que ainda não se sabe o que aconteceu no momento do acidente.

“Um tratorista, que estava acompanhando os alunos no estágio, ligou a máquina sem saber que o Lucas estava perto ou dentro da máquina. Na verdade ainda não sabemos como o Lucas foi parar dentro do equipamento. Ele pode ter entrado sem que ninguém tenha visto, pode ter caído, pode ter sido sugado, pode ter desmaiado. Ainda não sabemos. Mas foi uma fatalidade”, disse o servidor que trabalha na Faculdade de Medicina Veterinária da UFG.

O corpo do estudante foi enterrado na tarde deste domingo (25) no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia.

Culto Ecumênico

A Universidade Federal de Goiás decretou luto oficial nesta segunda-feira pela morte do estudante. As aulas foram suspensas em todas as regionais da UFG e um Culto Ecumênico foi realizado na Faculdade de Medicina Veterinária em homenagem ao Lucas.

Na cerimônia o reitor da UFG, Orlando Amaral, falou sobre o caso. “A universidade está em luto e consternada com esse acidente. Esse estágio existe há nove anos e nunca tivemos nenhum acidente registrado com os alunos. Foi instaurada uma sindicância interna para apurar as possíveis causas dessa tragédia”, disse.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.