Na suspeita de base pedir sua cabeça ao Paço, Pedro Azulão Jr. afirma que se necessário se tornará oposição

Informação foi revelada pelo vereador Santana Gomes (PRTB), que defendeu o pessebista durante a sessão extraordinária que aprovou Código Tributário em 1ª votação

Vereador Pedro Azulão Jr. (PSB), na tribuna, durante sessão extraordinária desta sexta-feira | Foto: Youtube/Reprodução

Durante debates na sessão extraordinária em que o Código Tributário foi aprovado em primeira votação, na manhã desta sexta-feira, 17, foi revelado que oito vereadores da base estariam “pedindo a cabeça” do parlamentar Pedro Azulão Jr. (PSB) – que também é da base – ao prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos).

A informação foi revelada, inclusive ao próprio pessebista, por Santana Gomes (PRTB) durante discurso na tribuna. Azulão afirmou que irá convocar o chefe do Executivo Municipal para uma conversa “franca e aberta”, mas que se houver retaliação, não se acanha em partir para a oposição.

“Não acredito que vai ter retaliação, porque eu já conheço o prefeito, mas se houver isso mesmo como o vereador Santana falou, encaro ir para oposição na maior tranquilidade. Pode ter certeza de que dou conta de sobreviver na oposição. Do mesmo jeito que eu fui pela porta da frente se base, se eu sair da base, também vou sair pela porta da frente. No entanto, terei uma conversa aberta e franca com o prefeito”, declara Pedro Azulão Jr, que, ao Jornal Opção, disse que também deseja saber quem foram os parlamentares referidos, para dialogar com eles.

Isso, porque, na tribuna, ao falar da importância em se tentar melhorar pontos que considerou incoerentes com a realidade goianiense, no Código Tributário, Santana Gomes se indignou com a posição dos parlamentares que, segundo seu relato, estariam crucificando o vereador pessebista por não concordar integralmente com a matéria em tramitação. “Qual o problema do vereador Pedro Azulão Jr. votar na comissão da CCJ contra um projeto que ele não compreendeu? Vereador, ontem teve uma romaria lá no Paço. Pediram a cabeça do senhor. Esse rapaz faz parte da base, ele discordou de um projeto, mas faz parte da base”, questionou.

 Apesar de ser da base, Azulão se caracteriza como “um cara que tem lado”, e afirma que manterá sua postura, independente da opinião dos demais parlamentares. “Eu não vou votar tudo de acordo com o que a prefeitura achar que tem que ser. Se me convenceu, ok. Sou um cara fácil de ser convencido. Mas se não me convencer eu não sou apegado. Não vou ‘abrir mão’ de uma conquista tão grande que foi ganhar a eleição para ser vereador”, afirmou o pessebista.

Questionado pelo Jornal Opção por mais detalhes acerca da situação, Santana revelou que cerca de oito pessoas foram ao Paço Municipal, na última quinta-feira, após a votação da Comissão de Constituição Justiça e Redação, onde Azulão propôs uma emenda que foi rejeitada, e “pediram a cabeça” do vereador. “Umas oito pessoas foram lá queimar o Azulin, mas o Azulin é da base. Isso são vereadores despreparados que estão achando que a pessoa não pode ter postura. Isso é democracia”, opinou Santana, que ressaltou esta como uma postura “ruim para a política”.

Durante a CCJ, o vereador Pedro Azulão Jr. (PSB) apresentou emenda em prol da retirada dos itens 13 e 14, do Anexo X do Código Tributário, que dizem sobre a isenção total do IPTU aos Clubes de Futebol Profissional sediados em Goiânia e sobre o perdão da dívida de mais de R$ 40 milhões com o município. Com a não aprovação da emenda apresentada, ele irá apresentar outra emenda na Comissão Mista, com a proposta de uma contrapartida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.