Na Cidade de Goiás, PSDB e PT devem caminhar juntos em 2016

Tucanos articulam para indicar vice da prefeita petista Selma Bastos, que tentará a reeleição na antiga capital 

Prefeita Selma Bastos e Governador Marconi Perillo | Foto: governo de Goiás

Prefeita Selma Bastos e Governador Marconi Perillo | Foto: governo de Goiás

A Cidade de Goiás deve ter uma chapa não convencional para a eleição de 2016. Com a desistência do então pré-candidato do PSDB à prefeitura, Gustavo Izac, a tendência é que o partido apoie a reeleição da atual prefeita, Selma Bastos,  do PT.

As negociações ainda estão abertas, mas interlocutores vilaboenses revelaram ao Jornal Opção que já está adiantada a possível aliança. Consta que o tucanato indicará o vice da chapa, mas ainda não conseguiu encontrar um nome (Gustavo não quer).

O plano inicial do PSDB era conseguir se unir ao PMDB do ex-prefeito Abner Curado para poder formar uma chapa de oposição à atual administração. Só que a conversa não prosperou. O peemedebista é cotado para se candidatar, mas, por problemas pessoais, pode acabar bancando o irmão Carlos Roberto, o Beto — tem o apoio do DEM e do Pros.

Para justificar o apoio, os tucanos vilaboenses não terão que fazer muito esforço. Primeiro que a relação do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), com Selma Bastos é muito mais que institucional, se admiram. Segundo que a avaliação da prefeita tem melhora consideravelmente e há obras importantes a serem entregues. Terceiro que não existe impedimento partidário para a aliança. O diretório nacional do PT precisa apenas aprová-la — o que deve acontecer, já que é cabeça de chapa.

Ao Jornal Opção, Selma Bastos avaliou o aceno do PSDB como um “ato de grandeza” e que uma grande aliança está sendo construída. “Neste período de quase quatro anos, tivemos parcerias eficientes com o governo do Estado e a decisão me alegra e fortalece nossa pré-candidatura”, completou.

Em situação ruim ficou o atual vice-prefeito, Rogério Azeredo (PSD). Se no ano passado ele despontava como nome da oposição para disputar a eleição deste ano, o rompimento com a prefeita e a falta de consenso dos adversários acabou inviabilizando sua manutenção na aliança.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.