Na CCJ, Jucá apresenta relatório favorável à reforma trabalhista

Líder do governo no Congresso indica pela constitucionalidade da proposta, mas não consegue acelerar tramitação 

Antonio Anastasia, presidente da CCJ; e o relator da reforma trabalhista, Romero Jucá | Foto: Edimilson Rodrigues

O relator da reforma trabalhista na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, senador Romero Jucá (PMDB-RR), leu na manhã desta quarta-feira (21/6), seu relatório favorável à constitucionalidade da proposta.

Após longo debate com senadores de oposição, o também líder do governo acabou derrotado na intenção de ler os votos em separado ainda na sessão desta quarta (21) para acelerar a votação da matéria na CCJ — que seria na próxima semana.

Pelo acordo firmado, Jucá concedeu pedido de vistas coletivo e, na próxima terça-feira (27), haverá audiências públicas com especialistas para debater a constitucionalidade da proposta. A expectativa é que a votação ocorra na quarta (28). Antes porém, haverá a leitura dos votos em separado que serão apresentados. Como ainda não se sabe quantos serão esses votos, os parlamentares de oposição se comprometeram a fazer as leituras das 10 às 16 horas.

A partir daí, cada integrante da comissão terá até 10 minutos para discussão da matéria e os líderes de partidos terão mais cinco minutos para orientar o voto a seus parlamentares. A expectativa é de que a conclusão da votação ocorra depois das 21 horas.

Histórico

O parecer do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), relator da reforma trabalhista em duas comissões do Senado, foi aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos e rejeitado pela Comissão de Assuntos Sociais.

O relatório é favorável à manutenção do texto da reforma trabalhista aprovado na Câmara, mas o tucano indica seis pontos que considera que devem ser vetados pelo presidente Michel Temer (PMDB). (As informações são da Agência Brasil)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.