Município de São Domingos (GO) terá sexto prefeito em menos de quatro anos

TSE convocou eleições indiretas para escolher um novo chefe do executivo antes das eleições de outubro. Desde 2012, cinco pessoas já assumiram a prefeitura da cidade

O município de São Domingos terá um novo prefeito antes das eleições municipais de outubro. Por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o novo chefe do executivo, que será eleito por escolha dos vereadores da Câmara Municipal em eleições indiretas, terminará o mandato até dezembro de 2016. Desde as eleições municipais de 2012, a cidade já teve cinco prefeitos, três deles afastados por corrupção.

O acórdão do TSE, que deve ser protocolado na próxima segunda-feira (30/5), decidiu por unanimidade que a prefeita Etélia Vanja Gonçalves (PDT) e o vice-prefeito, Ruy de Oliveira Pinto perderam seus mandatos e estão inelegíveis por oito anos.

Conforme demonstrado em investigação realizada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), Etélia Vanja e Ruy de Oliveira, diretamente apoiados pelo marido de Etélia Vanja, o ex-prefeito Gervásio Gonçalves, praticaram inúmeros ilícitos eleitorais, como, por exemplo, compra de votos, corrupção eleitoral, abuso do poder econômico, captação e emprego ilícitos de recursos.

Etélia e Ruy assumiram a prefeitura através de eleições suplementares, ocorridas em julho de 2013, depois que o então prefeito e o vice-prefeito eleitos em 2012, Oldemar de Almeida Pinto Filho, conhecido como Dimá (PMDB), e o vice Domingos Jacinto Oliveira Neto (PT), foram cassados em decorrência de abuso de poder econômico e político.

Entre o afastamento do prefeito Dimá e as eleições suplementares que elegeram Etélia, a prefeitura de São Domingos tinha ficado a cargo do então presidente da Câmara de Vereadores, Rival Gonçalves da Silva (PRP)

Além de Etélia Vanja e do vice Ruy de Oliveira, o marido de Etélia, o ex-prefeito Gervásio Gonçalves, também foi declarado inelegível por oito anos, uma vez que ficou comprovado seu envolvimento direto em todas as ilegalidades praticadas. Gervásio e outras seis pessoas são réus em ação penal que tramita em São Domingos pela prática de diversos crimes eleitorais, como corrupção, falsificação de documento, compra de voto e transporte ilegal de eleitores.

Etélia e Ruy estão afastados do cargo desde fevereiro do ano passado. Em maio de 2015, o TSE havia determinado a realização de eleições diretas, ou seja, através do voto popular, mas suspendeu a decisão até que o processo fosse julgado em definitivo, o que aconteceu agora.

Atualmente, ocupa o cargo de prefeito o vice-presidente da Câmara de São Domingos, Herculanito Lima, já que a presidente da Casa, Jovita Ribeiro da Silva (PMDB), tão logo assumiu a chefia do Poder Executivo, no início de 2015, também foi afastada por ordem judicial.

Conforme apurado pelo MP-GO em uma ação de improbidade administrativa, ela corrompeu testemunhas e destruiu provas e está respondendo por estes fatos juntamente com o vereador João de Lú Gomes da Silva. Jovita também é investigada por suspeita de ter recebido indevidamente o benefício do Bolsa Família, do governo federal, em todo o ano de 2013 e de janeiro a agosto de 2014 — enquanto exercia o cargo de vereadora. (Com assessoria MP-GO)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.