Mulher que ateou fogo no marido por ciúmes vai a júri popular

O crime aconteceu depois de uma briga do casal em que o homem tentou terminar o relacionamento

A decisão foi tomada nesta terça-feira (21/11) pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri.  Wanderleia Silva e Sousa é acusada de ter tentado matar o marido, Mário Oswaldo Lopes no dia 24 de março de 2001, em Goiânia. O julgamento ainda não foi marcado.

O caso

Conforme denúncia do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), a denunciada Wanderleia Silva e Sousa de Godoi morava há mais ou menos um ano com a vítima Mário Oswaldo Lopes e durante todo o relacionamento demonstrou ser extremamente ciumenta.

Ainda segundo o MP, tudo começou quando no dia 24 de março de 2001, Mário levou as suas roupas para lavar em outro lugar, esperando, assim, desfrutar mais da companhia de Wanderleia Silva.

No entanto, a acusada teria ficado extremamente zangada com a atitude de Mário Lopes, alegando que ela, como esposa dele, é que deveria lavar as suas roupas e ameaçou cortar e atear fogo em tudo. Ao ouvir as ameaças, Mário teria terminado o relacionamento.

Wanderléia não aceitou a decisão e jogou álcool no corpo do marido e ateou fogo. Devido a intervenção de vizinhos e do imediato atendimento hospitalar, a vítima conseguiu sobreviver

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.