Mudança no transporte coletivo dificulta acesso de profissionais de saúde ao trabalho, diz Ahpaceg 

Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás pode recorrer à Justiça contra  escalonamento de horários de transporte público em Goiânia

Foto: Reprodução

A Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg) questiona a flexibilização dos horários de abertura de atividades econômicas anunciada pela prefeitura de Goiânia como uma forma de reduzir o impacto econômico da pandemia de Covid-19 no setor de transporte coletivo na região metropolitana da capital.

Segundo a associação, que conta com mais de 7 mil trabalhadores diretos empregados nas instituições de saúde associadas e outro grande número de trabalhadores indiretos, a mudança na oferta do transporte coletivo impactam no setor saúde, que tem um perfil diferente de outras atividades econômicas, e não devem ser feitas sem a participação dos representantes deste segmento.

O presidente da Ahpaceg, Haikal Helou, adianta que, se necessário, a Ahpaceg vai recorrer à Justiça contra esse escalonamento. já que as instituições associadas funcionam ininterruptamente 24 horas por dia e com diferentes horários de entrada e de saída de trabalhadores que dependem do transporte coletivo.

Em função das escalas de trabalho, os profissionais de saúde utilizam o transporte coletivo ao longo de todo o dia e não apenas em horários considerados de pico. Portanto, uma mudança no transporte coletivo dificultaria o acesso ao trabalho de profissionais que dependem deste serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.