MPF vai investigar incêndio na sede do TRT em Goiânia

Tribunal, Corpo dos Bombeiros e Polícia Federal devem apresentar informações ao órgão ministerial em um prazo de até cinco dias

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) instaurou procedimento preparatório para apurar as causas do incêndio no prédio em construção do Tribunal Regional do Trabalho em Goiás (TRT-GO), ocorrido no último dia 3 de outubro, em Goiânia. A intenção do órgão é apurar possíveis danos e responsabilidades pelo ocorrido.

Como primeira medida para instruir o procedimento, o procurador da República Cláudio Drewes José de Siqueira, responsável pelo caso, enviou ofícios ao tribunal, ao Comando Geral dos Bombeiros e à Polícia Federal, para que informações sobre o incêndio sejam fornecidas em um prazo de cinco dias.

Na noite da última segunda-feira (5), o perito Carlos Campos entregou laudo preliminar ao tribunal em que alega que as estruturas dos prédios em construção no Complexo Trabalhista de Goiânia atingidas pelo incêndio não correm o risco de desabar.

O perito, que também é mestre e especialista em Concreto e Construção Civil, disse que o incêndio não causou danos nos outros dois prédios já em funcionamento, o Edifício Ialba-Luza Guimarães de Mello e o Fórum Trabalhista. Ele concluiu ainda que a maior ocorrência de danos são de “desplacamentos superficiais”, causados pelo aquecimento do concreto. (Com informações do MPF-GO e do TRT-GO)

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.