MPF pede arquivamento de “inquérito das fake news”, que investiga possíveis calúnias contra STF

Órgão entende que investigação não pode ser liderada pela própria corte, que nesse caso acumularia papéis de vítima, investigador e julgador


Foto: reprodução/ José Cruz/Agência Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo  fez solicitação formal nesta terça-feira, 6, pedindo o arquivamento de investigação sobre notícias falsas, calúnias e ameaças contra o Supremo Tribunal Federal (STF). Entendimento do órgão é de que haveria vícios no processo, que foi aberto pelo Supremo, dessa forma acumulando funções de investigador e acusador.

A investigação analisa a situação de sete pessoas apontadas por divulgar mensagens em redes sociais com conteúdo interpretado como ofensivo e ameaçador contra o STF e seus integrantes. O pedido dessa terça refere-se à um dos integrantes, que já teria sido remetido à Corte de paulista.

O pedido de arquivamento feito pelo MPF tem como pilar a mesma argumentação da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que já defendeu a nulidade da apuração no processo principal, apontando vícios na condução da investigação.

Para o MPF, “é inconcebível que um membro do Poder Judiciário acumule os papéis de vítima, investigador e julgador”. Além disso, o MPF questiona a forma que o Supremo instaurou a investigação, sem atuação do Ministério Público.

Com informações da Agência Brasil.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.