MP de Goiás determina arquivamento de processo contra Sandes Júnior

Vereador era investigado por solicitar uso indevidos de recursos públicos da AGEL para atender a interesses privados

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) determinou o arquivamento de investigação aberta contra o vereador Sandes Júnior (Progressistas). Ele era investigado por, supostamente, solicitar uso indevidos de recursos públicos da Agência Goiana de Esportes e Lazer (AGEL) para atender a interesses privados.

O caso aconteceu em 2014, quando Sandes Júnior era deputado federal. Na época, Sandes, por meio de um servidor público da AGEL, teria informado a Fábio Chaves Amorim, proprietário de uma empresa de transportes, que a mesma licitação que autorizou o uso de dois ônibus para transporte de alunos para a Paralimpíada Escolar poderia ser “aproveitada”, levando a delegação da equipe de juniores do Clube Atlético Goianiense para competir na Taça São Paulo de Futebol Júnior.

Contudo, jogava naquele clube o filho de Sandes Júnior, João Sandes Neto. Por conta disso, ficou entendido que eles teriam solicitado a Fábio o uso indevido de recursos públicos da AGEL para atender a interesses privados. Sandes começou então, a ser investigado por improbidade administrativa.

Representado pelo escritório Demóstenes Torres Advogados, Sandes alegou que não solicitou qualquer tipo de vantagem e tampouco possui influência nos procedimentos licitatórios do Estado de Goiás, nem poderes para determinar pagamentos. O vereador também destacou que Fábio não apresentou provas do suposto pedido de Sandes para que fosse realizada viagem diversa do que foi contratado.

O vereador reiterou que o ex-servidor da AGEL teria negado ter relacionamento próximo com ele e não teria contato Fábio para que ele recebesse qualquer valor, referente ao pedido.

A delegação da equipe de juniores do Clube Atlético Goianiense, se pronunciou sobre o caso afirmando que “é um grande clube do futebol brasileiro e de total independência financeira; não necessita e nem utiliza dinheiro público para qualquer benefício, principalmente para transportar seus jogadores”. A delegação também reiterou que Sandes Júnior nunca intermediou qualquer viagem e que ele “não tem qualquer poder de interferência nas decisões da Agremiação”.

Procurado pelo Jornal Opção, Sandes Júnior não quis se pronunciar sobre o assunto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.