Movimento usa tutorial de maquiagem para tentar impedir venda de ácido

Vídeo alerta para a facilidade de comprar ácido na Índia, onde o produto é vendido por centavos. Ataques são comuns no país e deixam mulheres com várias sequelas

ataques ácido reshma foto reprodução

Reshma: “Você consegue um delineador em qualquer lugar por 100 rúpias, mas sabia que você pode comprar ácido concentrado por apenas 50 rúpias?” | Foto: Reprodução YouTube

O movimento Make Love Not Scars (Faça amor, não cicatrizes) deu um uso inusitado para os conhecidos tutoriais de maquiagem da Internet. Eles criaram um canal no YouTube, em que uma das mulheres que faz parte da organização, chamada Reshma, dá várias dicas de como se maquiar. O que chama atenção é que Reshma foi vítima de um ataque de ácido e tem um objetivo claro com as produções.

Ela termina todos os vídeos mostrando que tão simples como comprar o produto usado no vídeo é adquirir o ácido usado nos ataques. Em um tutorial de como aplicar delineador, ela alerta: “Você consegue um delineador em qualquer lugar por 100 rúpias, mas sabia que você pode comprar ácido concentrado por apenas 50 rúpias?”.

O objetivo do movimento é coletar assinaturas em uma petição que pede que o governo indiano proíba a comercialização do ácido. A solicitação já tem quase 70 mil adesões. Os vídeos de Reshma são apenas uma parte da organização, que tem um site em que várias vítimas têm seu próprio espaço para postar o que lhes interessa. A página conta as histórias das vítimas, que na maioria das vezes foram atacadas por pessoas próximas a elas.

Um problema enfrentado por várias mulheres da Índia são os ataques com ácido. Homens as atacam com um produto que é vendido sem nenhum empecilho, custando centavos de dólar, por motivos tão absurdos como ciúme ou por terem sido rejeitados, por exemplo. O ácido desfigura as vítimas, causa disfunção nos órgãos internos e pode levá-las à morte. É comum que os agressores não sejam punidos pelo que fizeram.

Confira um dos tutoriais de Reshma:

Deixe um comentário