Movimento que pedia fim de “privilégios” para deficientes era campanha publicitária

Pensada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, ação queria chamar atenção para a importância das políticas afimativas para essas pessoas

| Foto: Reprodução Facebook

“Nós sabemos que vocês ficaram chocados com as revindicações feitas pelo movimento. E esse choque, é o nosso alívio”, diz a nota do Conselho | Foto: Reprodução Facebook

Chegou a causar estranhamento o quão absurda era uma campanha lançada nesta segunda-feira (30/11) que pedia o fim dos “privilégios” para deficientes físicos no Brasil. Supostamente organizada por um grupo chamado Movimento pela Reforma de Direitos, a campanha teve até um outdoor colocado em Curitiba (PR) que estampava a mensagem contra os deficientes em letras garrafais.

Durante todo o dia, chegou-se a cogitar que a campanha devia ser algum tipo de jogada publicitária. A suspeita era verdadeira: tratava-se, na verdade, de uma ação do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e da Prefeitura de Curitiba pensada justamente pra levantar polêmica.

O movimento que pedia o fim dos direitos recebeu uma enxurrada de comentários negativos criticando as posturas supostamente defendidas por eles na página do grupo no Facebook. Em nota, os dois órgãos comemoraram a resposta recebida pelo suposto Movimento pela Reforma: “Nós sabemos que vocês ficaram chocados com as revindicações feitas pelo movimento. E esse choque, é o nosso alívio”.

“O desrespeito que aconteceu na internet durou só um dia, mas as pessoas com deficiência enfrentam essa afronta todos os dias”, diz a nota, explicando a mensagem por trás da falsa campanha. 

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdocimo, gravou um vídeo em que explica a intenção: “Nós colocamos essa campanha no ar e conseguimos chamar a atenção de milhões de pessoas para os nossos direitos”. Segundo ela, a ação foi pensada para levantar a questão das políticas afirmativas no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

Ela aproveita para convocar as pessoas a se posicionar pelos direitos dos deficientes também fora da Internet. “Resolvemos aproveitar que quinta-feira, dia 3 de dezembro, é o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência para levantar essa questão: que cada um que se revoltou na Internet seja uma voz real na luta pelo respeito aos nossos direitos”, diz Mirella.

“Que não se calem ao ver uma pessoa com deficiência sendo desrespeitada ou discriminada. Denunciem! Não se revoltem somente nas redes sociais. Que essa atitude positiva de milhões de pessoas seja um exemplo para que a sociedade seja mais inclusiva”, defendeu ela.

Repercussão 

Mesmo depois da explicação, a campanha seguiu causando polêmica. Várias pessoas postaram comentários chamando a ação de “irresponsável” e acusando o Conselho e a Prefeitura de ter “brincado” com coisa séria. Alguns usuários destacaram o mal-estar que as falsas reivindicações do grupo causaram entre as pessoas com deficiência.

Outros destacaram que, embora a ideia seja válida, as falsas mensagens publicadas pela ação são realmente defendidas por algumas pessoas. O problema, segundo eles, disseram é que a Internet está cheia de “reacionários” e preconceituosos que podem reverberar o discurso de ódio criada pela campanha.

Aos que criticaram, a Prefeitura respondeu que a ação foi criada pelos próprios integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, com uma intenção definida. “Eles vão aproveitar o impacto gerado, para divulgar mensagens afirmativas e educar sobre o tema. Infelizmente, esse assunto nem sempre recebe a atenção que merece”, diz o órgão.

Já alguns usuários elogiaram a ação, destacando que justamente por ser tão forte é que ela conseguiu atrair tanta atenção. Para estas pessoas, o objetivo era justamente ser “grotesca” e forte, para mostrar o quão ofensivos e de mau-gosto são os comentários que as pessoas com deficiência têm de ouvir constantemente.

Confira a nota da Prefeitura e o vídeo que explica a campanha:

Com a palavra o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência:

Posté par Prefeitura de Curitiba sur mardi 1 décembre 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.