Morre escritor cuiabano Manoel de Barros, aos 97 anos

Velório será realizado na capital do Mato Grosso do Sul. Ele deixa uma filha e a esposa

Escritor Mato-grossense Manoel de Barros, presente na Feira Sul-americana do Livro - "Literamérica 2005", em Cuiabá | Foto: Guilherme Filho/Secom-MT

Escritor Mato-grossense Manoel de Barros, presente na Feira Sul-americana do Livro – “Literamérica 2005”, em Cuiabá | Foto: Guilherme Filho/Secom-MT

Após quase três semanas de internação, o escritor Manoel de Barros morreu na manhã desta quinta-feira (13/11), no Hospital Proncor, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Ele estava em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após cirurgia de desobstrução do intestino.

Boletim médico divulgado na terça-feira (11) informava que a situação dele havia piorado, mas que estava “consciente, orientado e mantendo sinais vitais estáveis”. O velório do escritor será realizado no cemitério Parque das Primaveras, na capital do Estado. Até o momento, não há informações sobre o enterro.

Prestes a completar 98 anos, em 19 de dezembro, o cuiabano ficou com a saúde debilitada após a morte de seu segundo filho, o primogênito Pedro Wanceslau, vítima de um AVC, em agosto de 2013. Cinco anos antes, outro filho, João, faleceu em acidente aéreo.

Nascido em 1916, Manoel de Barros morava em Campo Grande com a mulher, Stella, e a filha, Martha. Ele escreveu 18 livros de poesias, conteúdos infantis e relatos autobiográficos. No currículo, tem prêmios como dois Jabutis, com “O Guardador de Águas”, 1989, e “O Fazedor do Amanhecer”, em 2002.

Leia mais:
Os dez melhores poemas de Manoel de Barros

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.