Segundo informações da Globo News, Luiz Edson Fachin, relator do caso, deverá considerar válida a votação secreta em que chapa alternativa foi eleita

Fachin libera para ministros do STF voto sobre validade de regras do impeachment | Marcelo Camargo/Agência Brasil
Fachin libera para ministros do STF voto sobre validade de regras do impeachment | Marcelo Camargo/Agência Brasil

A votação secreta que escolheu a comissão que analisará o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados será reconhecida como legítima pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin, em voto a ser distribuído nesta quarta-feira (16).

Fachin, relator do caso, dará o primeiro voto na sessão da Suprema Corte. Nele será detalhado o rito por inteiro do processo. O Senado será obrigado a manter e julgar o processo caso a Câmara autorize a tramitação.

A votação secreta, realizada no dia 8 de dezembro, foi questionada em ação do PCdoB. Na ocasião foi eleita chapa alternativa para a comissão com deputados da oposição e dissidentes da base aliada.