Ministro do STF revoga prisão de Delcídio Amaral

Teori Zavaski determinou que senador poderá voltar às suas atividades no Congresso, mas deverá cumprir recolhimento domiciliar

Senador Delcídio do Amaral está preso na PF de Brasília | Agência Senado

Senador Delcídio do Amaral não pode mais obstruir Justiça, segundo STF  | Foto: Agência Senado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavaski decidiu, nesta sexta-feira (19/2), que o senador Delcídio Amaral (PT), preso em novembro de 2015, poderá deixar a prisão e voltar ao trabalho no Senado Federal. Delcídio foi flagrado orquestrando uma fuga do ex-diretor da Petrobrás, Nestor Ceveró, para que ele não fizesse delação premiada.

Até então em prisão preventiva, Delcídio agora pode voltar parcialmente à rotina, mas cumprindo recolhimento domiciliar à noite e nos finais de semana e feriados. Caso perca seu mandato ou seja afastado, deverá ficar em sua residência integralmente até que consiga outro emprego. O senador fica proibido de deixar o país e deverá entregar seu passaporte à Justiça, além de comparecer perante um juiz a cada 15 dias.

Seu chefe de gabinete, Diogo Ferreira, envolvido no caso, também será liberado. As mesmas restrições válidas para Delcídio serão aplicadas a Diogo.

O juiz aceitou parecer favorável do Ministério Público Federal que recomenda a soltura porque a delação de Cerveró já foi concluída. Assim, Delcídio não mais poderia obstruir a Justiça, motivo pelo qual foi detido. Segundo Zavaski, o “quadro fatídico atual é bem distinto” do que o que justificou a prisão.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Epaminondas

Que crime eu devo cometer para dividir a prisão (domiciliar) com o Delcídio? Senador, não deve morar exatamente numa masmorra. Poderá ainda dar uma reformada, com a ajuda de custo de moradia que ele continuou recebendo, mesmo quando estava pousando no xilindró.

Poderia dizer que mesmo livre, sua carreira política está acabada. Mas daí eu lembro do Collor e a realidade me esbofeteia na cara. É o preço de se ter vergonha nesta parte do corpo.

Quem não, vota em Collor e em Delcídio.