Ministro da Educação confirma criação das universidades federais em Catalão e Jataí

Aloizio Mercadante disse que envio de proposta para aprovação no Congresso depende de pequenos ajustes e que conquista do Estado é “resultado do empenho de Marconi”

 "Com novos reitores haverá melhora na eficiência e na gestão", disse o ministro sobre a criação novas universidades federais em Goiás | Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

“Com novos reitores haverá melhora na eficiência e na gestão”, disse o ministro sobre a criação novas universidades federais em Goiás | Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

Em reunião de trabalho com o governador Marconi Perillo (PSDB), o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, confirmou nesta quarta-feira (20/1) a criação das novas universidades federais de Catalão e Jataí. Mercadante afirmou que o MEC está fazendo os ajustes finais no projeto de lei de criação das duas Instituições de Ensino Superior (IFEs) para, então, enviá-los para aprovação no Congresso Nacional.

“Estamos trabalhando nessa perspectiva e reafirmei o compromisso que já tínhamos com o governador Marconi Perillo para criar as duas novas universidades de Goiás”, afirmou, Mercadante. O governador reconheceu o empenho do ministro e disse que, com o gesto, a presidente Dilma promove um “grande avanço para a educação superior em Goiás, triplicando o número de universidades federais no Estado”.

“Nós fizemos os estudos no MEC sobre a possibilidade de desdobrarmos a nossa universidade federal de Goiás em dois câmpus que estão consolidados, têm estrutura, densidade, perspectiva de futuro em duas novas universidades”, disse o ministro da Educação. “Em 60 anos, nós só temos uma universidade federal em Goiás e passaríamos a ter novas duas universidades”, celebrou o ministro.

Segundo ele, restam apenas ajustes na área orçamentária para que o texto seja encaminhado ao Congresso. “Nós ainda temos um ajuste a fazer que é o esforço de redução de pessoal, porque nós teríamos um pequeno acréscimo com esses dois campus, mas eles trarão muito mais avanços para a economia do Estado do que qualquer outra iniciativa que a gente possa ter”, afirmou.

“Marconi se empenhou para criação das universidades”, diz o ministro. “O governador Marconi Perillo tem se empenhado muito nisso, a bancada de Goiás também, e a presidente já disse que está favorável a essa iniciativa”, afirmou.

“Nós só temos agora que combinar com a situação orçamentária e, com a retomada dos trabalhos legislativos, encontrar um bom momento (para enviar a proposta para o Congresso)”, afirmou Mercadante. “As novas universidades melhoram a eficiência (do ensino superior), melhoram a gestão, você cria uma identidade nacional. Estamos trabalhando nessa perspectiva e reafirmei o compromisso que já tínhamos com o governador Marconi Perillo para criar as duas novas universidades de Goiás”, disse.

A parceria entre o Governo de Goiás e a Universidade Federal de Goiás sempre foi uma marca das administrações do governador Marconi Perillo, desde o primeiro mandato dele à frente do Palácio das Esmeraldas. O Tesouro Estadual repassou, por determinação do governador, cerca de R$ 100 milhões para a UFG durante seus mandatos.

O reitor da UFG, Orlando Afonso Vale do Amaral, disse que o apoio dos governos de Marconi sempre foram “essenciais e imprescindíveis” para o custeio da universidade, especialmente as unidades do interior. Os campus de Catalão e Jataí foram os mais beneficiados e os repasses do governo de Goiás para as unidades são considerados razões para a evolução e consolidação do processo de autonomia da UFG nos dois municípios.

No anúncio das duas novas universidades, Marconi lembrou que desde que assumiu o Governo de Goiás liderou um trabalho de apoio à manutenção dos campus de Jataí e Catalão, e também da própria UFG, com apoio e investimentos de cerca de R$ 100 milhões em infraestrutura, pagamento de professores, Construção do Centro de Ciências Agrárias, dentre outros.

O campus de Jataí possui, hoje, 25 cursos de graduação e seis cursos de pós graduação. Tem 339 docentes e 3.200 alunos. A regional já conta, também, com curso de medicina. O campus de Catalão, por sua vez, contabiliza 20 cursos de graduação e, quando for criada a Universidade Federal do Sudeste Goiano, também será criado o curso de medicina. O governador já autorizou, recentemente, convênio da ordem de R$ 3 milhões para auxiliar na estruturação do curso de Medicina na Universidade Federal em Catalão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.