Ministério do Trabalho recebe plano de contingência do Hugo

Documento contempla medidas que visam à adequação do atendimento do hospital aos pacientes que atendem ao perfil da unidade e à sua capacidade instalada

Foto: divulgação

Em atendimento à solicitação dos Ministérios do Trabalho e Público Federal, o Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO) apresentou na tarde desta quarta-feira (26) um plano de contingência. O objetivo é de padronizar as medidas necessárias ao atendimento dos pacientes, conforme a capacidade da unidade, de forma a não ocasionar riscos ao público interno e externo.

Dentre as medidas tomadas, está a otimização dos processos terapêuticos dos pacientes para agilizar altas, realizar as cirurgias pendentes e transferir os pacientes de longa permanência para outras unidades adequadas e conveniadas da rede.

Esse procedimento tem como objetivo reduzir a sobrecarga da taxa de ocupação de leitos, índices de infecção hospitalar, estresse da equipe de enfermagem e consumo exagerado de insumos, aumentando o nível de satisfação dos internos e de seus familiares.

Ainda com objetivo de reduzir o problema da superlotação do Hugo e garantir a devida assistência ao público que necessita de tratamento cirúrgico especializado, o plano envolve o encaminhamento a outras unidades capacitadas de pacientes que não se enquadram ao perfil do hospital – destinado ao atendimento de traumas graves, que ofereçam ao indivíduo iminente risco de morte.

Dessa forma, aqueles que aguardam cirurgias programadas, de menor porte, serão encaminhados a outras unidades. Já aqueles que puderem receber alta para serem operados no próprio Hugo em outra internação serão agendados para tal.

No caso das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), o plano prevê a disponibilização ao hospital de médicos estatutários da Secretaria Estadual de Saúde, lotados em outros órgãos, de maneira a reforçar as equipes que atuam nesses setores.

Atualmente, o Hugo realiza diariamente, em média, 120 atendimentos ambulatoriais  referentes a consultas de retorno, o que acaba gerando internações. O plano de contingência prevê a restrição dessas internações, que ocorrerão somente em casos de urgência.

Além disso, muitos pacientes dão entrada no Hugo para a realização de exames de tomografia computadorizada e são avaliados pela equipe médica de plantão, que muitas vezes solicitam internação para uma nova avaliação diagnóstica, um procedimento cirúrgico ou tratamento hospitalar. Com o plano de contingência, as tomografias serão restritas aos pacientes que se enquadram ao perfil da unidade, de urgência e emergência.

Insumos e atividades

Ainda contemplando os esforços realizados pelo Hugo para garantir a assistência ofertada aos pacientes e as condições de trabalho aos colaboradores, a unidade recebeu, também na tarde nesta quarta-feira, novos carregamentos para normalizar o estoque de insumos. O hospital também voltou a dispor, na sua totalidade, da atuação de recepcionistas, maqueiros e ascensoristas, não tendo nenhum setor do hospital com atividades paralisadas, parcial ou totalmente.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.