Demissões somam-se a uma série de remanejamentos que têm sido feitos no MEC nos últimos meses

Na linha de troca de pessoal no Ministério da Educação, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, publicou nesta quinta-feira, 4, no Diário Oficial da União a demissão de mais dois servidores — um assessor especial e um chefe de gabinete.

Os exonerados são Bruno Garschagen, que era assessor do ministro Ricardo Vélez, e a chefe de gabinete Josie Pereira.

Para o cargo de chefe de gabinete do ministro foi nomeado Marcos de Araújo. As demissões somam-se a uma série de remanejamentos que tem sido feitos no Ministério da Educação nos últimos meses. 

Histórico

No último dia 26, o professor Marcus Vinicius Carvalho Rodrigues foi demitido do cargo de presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A demissão ocorreu após o anúncio de que a avaliação da alfabetização não seria realizada este ano, mas apenas dem 2021. O MEC voltou atrás e revogou a medida que definia o adiamento. A não aplicação foi criticada por especialistas.

A então secretária de Educação Básica, Tânia Leme de Almeida, pediu demissão no último dia 25.

O cargo de secretário-executivo do MEC ficou vago desde o dia 13 de março até o dia 29, quando o tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira assumiu a Secretaria.

Além dessas movimentações, no dia 11, seis funcionários comissionados da pasta foram exonerados.