Micro e pequenas empresas lideram pedidos de recuperação judicial

Em agosto deste ano, 142 empresas pediram recuperação na Justiça contra 132 pedidos em agosto do ano passado

Luiz Rabi, da Serasa Experian, diz que o dinamismo econômico atua em desfavor de pequenas empresas | Foto: Reprodução

Os pedidos de recuperação judicial no Judiciário brasileiro aumentaram 7,6% em agosto, comparado com o mesmo período em 2018. De acordo com o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, foram feitos 142 pedidos de recuperação judicial no mês passado contra 132, em 2018.

Na relação com julho deste ano, quando foram feitas 172 requisições, o índice apresentou queda de 19,3%. No acumulado dos primeiros oito meses de 2019, comparando com o mesmo período do ano anterior, a redução foi de 4,7%, com 936 pedidos.

As micro e pequenas empresas lideraram os pedidos em agosto, representando 66,1% do total (94 pedidos), seguidos pelas médias e grandes empresas, com 24 pedidos cada uma (representatividade de 16,9%). De janeiro a agosto de 2019, as micro e pequenas empresas representaram 61,2% pedidos, seguidas pelas médias (21,9%) e grandes (16,8%) – total de 573 pedidos, sendo 205 e 158 respectivamente.

Segundo o economista-chefe da Serasa Experian, Luiz Rabi, a falta de dinamismo econômico continua a atuar negativamente no fluxo de caixa das instituições que, por consequência, elevam seus níveis de inadimplência e de insolvência. “Além disso, a alta de 6,3% na cotação média da taxa cambial em agosto, afetando custos, pode ter agravado tal situação financeira das empresas”, esclarece Rabi.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.