“Meu filho nunca foi agressivo”, diz pai de adolescente que matou vizinha de 14 anos

Segundo ele, o menino é amado, carinhoso com a família e jamais havia dado indícios do que pretendia fazer. Agora, família espera que ele seja internado e receba ajuda

O pai do adolescente apreendido na última quarta-feira (23/8) depois de matar a vizinha de 14 anos disse, em entrevista ao Jornal Opção, que o garoto jamais havia manifestado agressividade e nem dado indícios de que tinha intenção de matar alguém.

Bastante abatido e sob efeitos de remédio, ele e a esposa – que teve um princípio de acidente vascular cerebral (AVC) depois de receber a notícia – ainda não falaram com o filho depois do ocorrido e preferiram não se identificar.

Ele explicou que a orientação da polícia e do Ministério Público é de que eles e o adolescente sejam ouvidos separadamente, para não interferir no depoimento e tentar evitar que o menino omitisse alguma informação por estar acanhado pela presença deles. Segundo ele, o garoto está atônito: “Ele está em estado de choque.”

Agora, o homem espera que o filho seja internado para passar por tratamento: “Acho que ele tem que ser internado para ver se alguém ajuda ele”. Ele nunca havia procurado ajuda médica, pontua, porque nunca havia percebido a necessidade. “Às vezes as pessoas falam que os pais têm culpa, mas ele nunca manifestou alguma coisa, nem pra nós nem pros irmãos dele.”

“Ele é um menino ativo, amado, carinhoso com a gente, anda de bicicleta, brinca, nunca teve nenhum problema, nunca teve problemas com colegas da escola, lá em casa nós somos todos os amigos”, contou ele.

Deixe um comentário