Metade dos brasileiros rejeita Temer e 62% querem nova eleição, diz pesquisa

Levantamento feito pelo Instituto Paraná mostra que pouco mudou na percepção do País após a saída da presidente eleita

Presidente Michel Temer e o ministro Meirelles | Foto Lula Marques/Agência PT

Presidente Michel Temer e o ministro Meirelles: não vão bem | Foto Lula Marques/AGPT

O interino Michel Temer (PMDB) continua auferindo alta rejeição popular. Mesmo após Folha de S. Paulo ter dado aquela “ajudinha” na hora de divulgar a última pesquisa Datafolha, um novo levantamento, desta vez feito pelo Instituto Paraná, mostra que a maioria da população não o quer como presidente. Apenas 24% disseram que deve continuar no cargo.

Assim como na de Datafolha, 62% dos entrevistados entre os dias 20 e 23 de julho em 158 municípios de todas as regiões do País pelo Paraná Pesquisas preferem que sejam realizadas novas eleições presidênciais. Tal cenário só seria possível se houvesse uma dupla renúncia (de Temer e de Dilma Rousseff, do PT).

De acordo com a pesquisa, divulgada nesta segunda-feira (25/7), 52% desaprovam a gestão interina, sendo que a nota média dada é de 4,2 (maior que a do Congresso, que é 3,3; menor que a do Judiciário, 4,6). Apenas 21% disseram que o peemedebista surpreendeu e está melhor do que o esperado; outros 21% que está pior do que imaginavam.

A popularidade pessoal de Temer também vai mal: 63% não querem que ele se candidate a presidente em 2018.

Governança

Os entrevistados pelo Instituto Paraná também mostraram pouca confiança na nova equipe e nas medidas apresentadas para superar a crise. Segundo a pesquisa, apenas 11% acreditam que a situação financeira do País melhorou. 66% não veem mudanças concretas, ou seja, permanece como estava antes da saída de Dilma.

Um dos dados mais chamativos é a confiança na economia: só 27,5% se sentem mais otimistas. 53% acreditam que nada mudou e, para, 16,7%, piorou.

Bandeira empunhada pelos ministros do governo interino, em especial o da Fazenda (o goiano Henrique Meirelles), é a reforma na Previdência Social e o aumento da idade mínima para aposentadoria. A proposta é rejeitada por surpreendentes 73% da população. Apenas 23% a chancelam.

Veja os números da pesquisa do Instituto Paraná:

Avaliação do governo

Aprova: 38,9%
Desaprova: 52%
Não sabe ou não opinou: 9,1%

Melhor que o esperado: 20,9%
Pior que o esperado: 20,8%
Igual ao esperado: 51,8%
Não sabe ou não opinou: 6,4%

Nota média: 4,2

Preferem a volta da presidente Dilma Rousseff: 11,1%
Preferem a permanência de Michel Temer: 23,8%
Preferem novas eleições: 62,4%
Não sabe ou não opinou: 2,7%

Situação financeira

Melhorou: 11,3%
Piorou: 20,7%
Permaneceu como estava: 66%
Não sabe ou não opinou: 2,1%

Confiança na economia do Brasil
Aumentou: 27,5%
Diminuiu: 16,7%
Permaneceu como estava: 53,1%
Não sabe ou não opinou: 2,7%

Reforma da Previdência e aumento da idade mínima para aposentadoria
Aprova: 23%
Desaprova: 73%
Não sabe ou não opinou: 4%

A pesquisa foi realizada com 2020 habitantes, em 158 municípios de 24 Estados e no Distrito Federal entre os dias 20 e 23 de julho de 2016. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.