Mesmo com reforma trabalhista, desemprego fecha 2017 em alta

Número de desempregados subiu de 11,7 milhões para 13,2 milhões 

A taxa de desemprego média de 2017 ficou em 12,7%, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (PNAD Contínua), divulgados nesta quarta-feira (31/1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice surpreende e é mais alto do que o aferido em 2016 (11,5%).

O total de desempregados chegou a 13,2 milhões na média do ano, um aumento de 12,5% na comparação com a média do ano anterior (11,7 milhões). Já o total de ocupados ficou em 90,65 milhões, ou seja, 0,3% a mais do que em 2016 (90,38 milhões).

Analisando-se apenas o último trimestre do ano, o nível ficou em 11,8%. A taxa do terceiro trimestre de 2017 havia ficado em 12,4%. Já a do último trimestre de 2016 havia sido de 12%.

O rendimento médio mensal habitual de todos os trabalhos subiu 2,4%, passando de R$ 2.091 em 2016 para R$ 2.141 em 2017. Já massa de rendimento habitual cresceu 2,6%, ao passar de R$ 184,3 bilhões em 2016 para R$ 189,1 bilhões no ano passado. (Com informações da Agência Brasil)

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.