Mesmo após fusões de partidos, Caiado entra na pré-campanha com base aliada maior do que a de 2018

União Brasil, MDB, Solidariedade, PRTB, PSC, Avante, PV, Podemos, PTB, Progressistas, Republicanos e PDT apoiam a reeleição do atual governador, que forma chapa com Daniel Vilela na vice

Maior parte dos partidos apoia reeleição do governador Ronaldo Caiado | Foto: Reprodução

Com apoio, até agora, de 12 partidos – União Brasil, MDB, Solidariedade, PRTB, PSC, Avante, PV, Podemos, PTB, Progressistas, Republicanos e PDT -, o governador Ronaldo Caiado (UB) entra na pré-campanha com a mesma quantidade de siglas que compuseram a base eleitoral dele em 2018. Apesar do número ser igual, o desempenho é melhor. Isso porque, a marca foi atingida mesmo após a fusão de três partidos que estavam na base caiadista. O PRP foi incorporado ao Patriota, legenda que migrou para a oposição; o PHS, que estava na base de Daniel Vilela (MDB), pré-candidato a vice-governador na chapa de Caiado, foi incorporado ao Podemos; e o partido do governador, o Democratas, se fundiu com o PSL para se tornar o União Brasil.

Dos 12 partidos que apoiaram Caiado na primeira eleição, em 2018, continuam na base o PRTB, PDT, PSC, Podemos e o União Brasil. Aos cinco somam-se MDB, Republicanos e o Progressistas, que tiveram Daniel Vilela como postulante nas eleições de 2018; além do Solidariedade, PTB e Avante, que ingressaram à base depois de caminharem com José Eliton (na época no PSDB).

O PSD, que também estava na base do ex-tucano, pode aderir ao grupo caiadista. O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD), lembrado como pré-candidato ao Senado, é um dos nomes que trabalham para ingresso do partido na base de apoio ao governador. O PV tenta se manter na base, no entanto, ainda dialoga em nível nacional porque o partido deve caminhar com o PT e o PCdoB na Federação Esperança Brasil. Caiado também perdeu o Pros, mas o reaparecimento dele na base não está descartado.

O Cidadania, que era dirigido pelo vice-governador Lincoln Tejota, também caminhava com Caiado, no entanto, a federação com o PSDB, do ex-governador Marconi Perillo, o tirou da base. O movimento nacional inclusive fez com que Tejota deixasse a legenda. A aliança caiadista ainda perdeu o PRP após a fusão com o Patriota, pois a sigla tem como pré-candidato o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha; e também deve perder o PMB (hoje Brasil 35), o PTC, o DC e o PMN, que tendem a caminhar no mesmo sentido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.