Mesmo integrando a mesma federação, os partidos PSDB e Cidadania ainda batem cabeça sobre o nome a ser escolhido para disputar o pleito municipal em Anápolis. Enquanto do lado tucano o ex-presidente do Ipasgo, Hélio Lopes, sustenta sua pré-candidatura como “a mais viável” e espera contar com o apoio da federação, Michel Roriz, do Cidadania, que admite conversas tanto com Lopes quanto com o presidente nacional do PSDB, Marconi Perillo, diz também se manter como pré-candidato.

Na última semana, em conversa com o Jornal Opção, Hélio Lopes disse que a disputa entre Michel Roriz e ele para decidir quem seriam o candidato da federação já “estava pacificada”, e que o presidente do Cidadania da Anápolis já havia sinalizado que abriria mão de seu projeto pessoal para apoiá-lo, o que deve acontecer “no tempo certo”.

No entanto, também à reportagem, Roriz afirmou que, apesar de haver conversas nesse sentido, não há sinalização de recuo – pelo menos não por agora. “A verdade é que tive uma conversa com o Marconi e com Hélio sobre Anápolis, mas ainda não avançamos. Não sinalizei abrir mão da pré-candidatura a prefeito. Entendo que o Cidadania vem construindo um amplo trabalho para trazer um plano de governo que seja viável e factível, em resolver os problemas da cidade. Qualquer manifestação de apoio deve ser construída em grupo”, disse.

O pré-candidato disse ainda que mantém sua pré-candidatura “com muita tranquilidade” em relação ao que está em construção. “Conversando e respeitando a autonomia de cada um. Minha pré candidatura sempre foi pautada no diálogo e no respeito as pessoas. No mais, somente especulações”, finalizou.

Leia também: Juntos em federação, Cidadania e PSDB travam disputa interna em Anápolis para decidir nome que estará no pleito