Meirelles assume que governo Temer pode recriar CPMF, mas “de forma temporária”

Novo ministro da Fazenda explicou que o objetivo é diminuir impostos, mas é preciso ter um governo economicamente sustentável primeiro

Presidente interino, Michel Temer, e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles | Foto: José Cruz / ABr

Presidente interino, Michel Temer, e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles | Foto: José Cruz / ABr

O novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), afirmou, na manhã desta sexta-feira (13/5), que o governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) pode, sim, lançar mão da CPMF para auxiliar no equilíbrio fiscal. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa, quando o goiano garantiu que o objetivo maior, contudo, é diminuir a tributação brasileira, “que já é elevada demais”.

Segundo ele, a economia precisa voltar a crescer de forma sustentável, portanto, é importante que a meta seja a diminuição dos tributos para a população. Mas, em um primeiro momento, ou “de forma temporária”, o governo pode manter a proposta apresentada pela presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), de recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) — proposta que foi veementemente rejeitada por congressistas e até governadores.

Meirelles assegurou, ainda, que a nova equipe econômica está preparada para tomar “as medidas necessárias” para fazer o País voltar a crescer.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Antonio Alves

Se o Congresso aprovar essa medida, estará declarando perseguição a Presidente Dilma, pois já rejeitou com todas letras, desculpas e justificativa.