Médicos do Samu aguardam reajuste no valor do plantão

Total de 36 profissionais do serviço especial esperam definição de valor, que deve sair de negociação entre secretarias da Saúde e Finanças do município

Secretário Fernando Machado confirmou que questão ainda não foi resolvida | Foto: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

Secretário Fernando Machado confirmou que questão ainda não foi resolvida | Foto: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

A greve dos servidores da Saúde da capital terminou há pouco menos de um mês, mas uma questão ainda falta ser resolvida. Os médicos credenciados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) pedem reajuste no valor pago pelo plantão.

A informação foi repassada pelo titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Fernando Machado, durante visita técnica às obras da nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Região Noroeste, no Jardim Curitiba I, nesta segunda-feira (1º/6).

“Os médicos que tem contrato especial estão reivindicando o aumento do valor do plantão de 12 horas, que ficou realmente defasado”, disse, ao ser questionado pelo Jornal Opção Online se todos os pontos reivindicados haviam sido atendidos, após paralisação de 25 dias.

Fernando Machado afirmou que o assunto está sendo tratado diretamente com Jeovalter Correia, das Finanças. A previsão é a de que até a próxima quarta-feira (3) as negociações sejam concluídas. “Foi uma negociação que se estendeu”, avaliou.

Atualmente, o plantão dos profissionais é de R$ 800 e a reivindicação é por R$ 1 mil. Segundo o auxiliar da prefeitura, está havendo negociação para reposição da data base dos últimos dois anos, fazendo com que o valor chegue a R$ 950.

O Samu tem em seus quadros 86 médicos, sendo que 50 são efetivos e o restante é credenciado.

Leia mais:
Paulo Garcia prepara terreno para Adriana Accorsi na capital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.