Gustavo Aragão de Menezes, médico e empresário goiano de 52 anos, enfrenta inquéritos policiais em São Paulo e Goiânia após adquirir veículos de luxo e, supostamente, não pagar. Conforme o jornal Folha de S. Paulo, o goiano tem uma dívida estimada em R$ 50 milhões e teria adquirido carros da Ferrari, McLaren e Harley Davidson sem pagar.

Em agosto, Menezes foi alvo do Ministério Público de Goiás (MP-GO) por estelionato, e o juiz Donizete Martins de Oliveira, da 11ª Vara Criminal de Goiânia emitiu ordem para que ele se apresentasse.

O Jornal Opção tentou contato com a defesa de Gustavo Aragão e aguarda um retorno. O espaço permanece aberto.

Um das ações contra o médico foi movida pelo proprietário de uma loja de revenda de carros de luxo, em Goiânia. À Folha de S. Paulo, Hugo Flávio Xavier Barbosa diz que, em novembro de 2021, Menezes ofereceu um Rolls-Royce Cullinan por R$ 4 milhões, preço abaixo do valor de mercado. O dono da loja teria adiantado R$ 1 milhão, mas o veículo nunca foi entregue pois já havia sido vendido em julho de 2021.

Modelo de luxo vendido teria sido vendido para duas pessoas diferentes pelo médico | Foto: Reprodução/Rolls-Royce

À Folha, o advogado Hélio Moyano alegou que Menezes tinha como “hooby comprar, utilizar por um curto período e depois revender veículos de luxo”. O advogado disse, no entanto, que devido a problemas financeiros enfrentados desde meados de 2021, o empresário não teria conseguido quitar as dívidas.

As dificuldades financeiras teriam começado após a empresa GAM Diagnósticos, em Moçambique, não receber pagamentos pelos serviços. Os pagamentos, que totalizariam R$ 131 milhões, foram devolvidos pelo Santander, alegadamente prejudicando ainda mais as finanças de Menezes. Enfrentando ameaças de fornecedores de carros de luxo, Menezes e sua esposa registraram boletim de ocorrência, enquanto a dívida total do médico é estimada em R$ 50 milhões.

Além das acusações de não pagamento à McLaren, Menezes é alvo de ações judiciais do grupo Escuderia, revendedor de marcas como Ferrari, Maserati, Lamborghini e Rolls-Royce no Brasil. Flávio Lucas de Menezes, primo de segundo grau do médico, que advogou para Menezes até junho de 2023, agora cobra R$ 40 milhões, alegando ser vítima do próprio primo/cliente.

Leia também:

Unimed Goiânia não paga piso de funcionários e culpa o sindicato

Prefeitura de Anápolis e Detran-GO realizam leilão de veículos apreendidos