Médico cubano recebe convite para ser secretário de Saúde

Convocação foi feita pelo prefeito de Chapada, Rio Grande do Sul, ao profissional Richel Collazo, que atua pelo programa Mais Médicos

Richel Collazo | Foto: reprodução

O médico cubano Richel Collazo, que atua pelo programa Mais Médicos na cidade de Chapada, no Rio Grande do Sul, recebeu do prefeito, Carlos Alzenir Catto (PDT), um convite para assumir o cargo de secretário municipal de Saúde. As informações são do jornal O Globo.

Segundo o veículo, a convocação foi feita e anunciada pelas redes sociais após o Ministério de Saúde Pública de Cuba anunciar a decisão de deixar o Programa Mais Médicos, justificando que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, fez “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” ao trabalho dos profissionais. 

Conforme aparece na página oficial da Prefeitura de Chapada, o pedido foi feito “acreditando na capacidade e no profissionalismo já demonstrado pelo médico em nosso município”. Collazo trabalha em Chapada há quatro anos faz parte de uma equipe de apenas três médicos que atuam na cidade.

Em entrevista à “Rádio Gaúcha”, Catto disse que o convite foi feito oficialmente na quarta-feira (1411), quando se encontrou com o médico cubano após o expediente. “Ele foi muito bem aceito na cidade, tem competência e não falta no serviço”, afirmou.

Porém, de acordo com as informações, se Richel aceitar assumir a pasta, seria necessário modificar a Lei o Orgânica do Município, que não prevê que estrangeiros tenham cargos no governo.

Segundo o prefeito, com a resposta positiva do médico, ele acredita que não enfrentaria impasse na Câmara para aprovar a proposta. Atualmente a titular na Saúde é a vereadora Loiva Mirna Gauer, que já havia decidido retornar Câmara Municipal no fim do ano.

Toma lá da cá

A reportagem conta, também que, em outubro, a Prefeitura de Chapada abriu um edital com o objetivo de contratar três médicos especializados em saúde da família para trabalharem em regime de 40h semanais e com o salário de pouco mais de R$ 11 mil, o mesmo do prefeito, mas nenhum profissional se inscreveu no programa.

“Não veio se inscrever ninguém. E olha que é uma cidade bonita, não tem barro quando chove, as ruas são asfaltadas… Imagina no interior do Brasil, no Nordeste, ou mesmo aqui no interior do Rio Grande do Sul”, disse o prefeito ao O Globo.

Já em outra reportagem, publicada pelo Gaúchazh, onde Richel foi entrevistado, o médico cubano fez questão de rebater críticas que atingem seu país. Ele garantiu que “ninguém vem de Cuba para o Brasil enganado. Todo mundo sabe o que vai ganhar e a parte com a qual o governo vai ficar”, alegou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.