Convocação foi feita pelo prefeito de Chapada, Rio Grande do Sul, ao profissional Richel Collazo, que atua pelo programa Mais Médicos

Richel Collazo | Foto: reprodução

O médico cubano Richel Collazo, que atua pelo programa Mais Médicos na cidade de Chapada, no Rio Grande do Sul, recebeu do prefeito, Carlos Alzenir Catto (PDT), um convite para assumir o cargo de secretário municipal de Saúde. As informações são do jornal O Globo.

Segundo o veículo, a convocação foi feita e anunciada pelas redes sociais após o Ministério de Saúde Pública de Cuba anunciar a decisão de deixar o Programa Mais Médicos, justificando que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, fez “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” ao trabalho dos profissionais. 

Conforme aparece na página oficial da Prefeitura de Chapada, o pedido foi feito “acreditando na capacidade e no profissionalismo já demonstrado pelo médico em nosso município”. Collazo trabalha em Chapada há quatro anos faz parte de uma equipe de apenas três médicos que atuam na cidade.

Em entrevista à “Rádio Gaúcha”, Catto disse que o convite foi feito oficialmente na quarta-feira (1411), quando se encontrou com o médico cubano após o expediente. “Ele foi muito bem aceito na cidade, tem competência e não falta no serviço”, afirmou.

Porém, de acordo com as informações, se Richel aceitar assumir a pasta, seria necessário modificar a Lei o Orgânica do Município, que não prevê que estrangeiros tenham cargos no governo.

Segundo o prefeito, com a resposta positiva do médico, ele acredita que não enfrentaria impasse na Câmara para aprovar a proposta. Atualmente a titular na Saúde é a vereadora Loiva Mirna Gauer, que já havia decidido retornar Câmara Municipal no fim do ano.

Toma lá da cá

A reportagem conta, também que, em outubro, a Prefeitura de Chapada abriu um edital com o objetivo de contratar três médicos especializados em saúde da família para trabalharem em regime de 40h semanais e com o salário de pouco mais de R$ 11 mil, o mesmo do prefeito, mas nenhum profissional se inscreveu no programa.

“Não veio se inscrever ninguém. E olha que é uma cidade bonita, não tem barro quando chove, as ruas são asfaltadas… Imagina no interior do Brasil, no Nordeste, ou mesmo aqui no interior do Rio Grande do Sul”, disse o prefeito ao O Globo.

Já em outra reportagem, publicada pelo Gaúchazh, onde Richel foi entrevistado, o médico cubano fez questão de rebater críticas que atingem seu país. Ele garantiu que “ninguém vem de Cuba para o Brasil enganado. Todo mundo sabe o que vai ganhar e a parte com a qual o governo vai ficar”, alegou.