Médica nega atendimento por fim de expediente e deixa bebê morrer

Criança tinha doença neurológica e, por isso, era atendida em casa. Mulher rasgou pedido e fez ambulância dar meia volta

Câmeras de segurança flagraram o momento em que ela rasga o pedido | Foto: Reprodução

Um menino de um ano e seis meses que tinha doença neurológica faleceu no Rio de Janeiro na última quarta-feira (8/6), logo depois de uma médica se recusar a atendê-lo. A mãe do bebê, que, pela condição da criança, recebia atendimento em casa, chamou uma ambulância quando ele começou a se sentir mal do estômago.

Só que ao chegar ao local junto com a ambulância, a médica rasgou o pedido, disse que seu horário de atendimento já estava próximo do fim e fez o motorista dar meia volta. Aguardando outra ambulância, que demorou pelo menos uma hora e meia para chegar, a criança faleceu. O caso foi registrado no Departamento de Polícia da Barra da Tijuca, na capital fluminense.

Em nota, a Unimed do Rio lamentou o ocorrido, afirmou que está dando apoio à família e disse que vai tomar providências para descredenciar o prestador de serviços em que a médica trabalha, a Cuidar. “Além disso, adotará todas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis em razão da recusa de atendimento por parte do prestador”, promete o comunicado.

A Cuidar afirmou apenas que tomará as providências cabíveis e que a médica trabalha para eles há dois anos, mas nunca havia apresentado problemas do tipo.

4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Bete

Um verdadeiro médico não tem horários rígidos, atende quando há pacientes para atender, não vira as costas nunca.

Verdade

Empresa CUIDAR mais conhecida como TOESA,empresa que fingiu falência para dar golpe. A mesma responsável por matar paciente na porta do hospital Pedro 2 pois a ambulância estava sem freio, e a mesma por matar paciente que caiu da ambulância em movimento na Av brasil. Investigue. É só pesquisar no Google. Agora a empresa envia uma ambulância para atendimento de pediatria sem pediatra!!!

Ana Selma Castanheira Gonçalves

ESSA MÉDICA DEVE SER PROCESSADA E SEU DIPLOMA RASGADO E A EMPRESA DEVIDAMENTE PUNIDA.

Flávio

Pena de morte pra esse projeto de médico, esse esboço, seria muito pouco. Deveria receber a pena, além de morte, de ir direto pro inferno e ficar por toda a eternidade sentada no colo do capeta.