Criança tinha doença neurológica e, por isso, era atendida em casa. Mulher rasgou pedido e fez ambulância dar meia volta

Câmeras de segurança flagraram o momento em que ela rasga o pedido | Foto: Reprodução

Um menino de um ano e seis meses que tinha doença neurológica faleceu no Rio de Janeiro na última quarta-feira (8/6), logo depois de uma médica se recusar a atendê-lo. A mãe do bebê, que, pela condição da criança, recebia atendimento em casa, chamou uma ambulância quando ele começou a se sentir mal do estômago.

[relacionadas artigos=”62766″]

Só que ao chegar ao local junto com a ambulância, a médica rasgou o pedido, disse que seu horário de atendimento já estava próximo do fim e fez o motorista dar meia volta. Aguardando outra ambulância, que demorou pelo menos uma hora e meia para chegar, a criança faleceu. O caso foi registrado no Departamento de Polícia da Barra da Tijuca, na capital fluminense.

Em nota, a Unimed do Rio lamentou o ocorrido, afirmou que está dando apoio à família e disse que vai tomar providências para descredenciar o prestador de serviços em que a médica trabalha, a Cuidar. “Além disso, adotará todas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis em razão da recusa de atendimento por parte do prestador”, promete o comunicado.

A Cuidar afirmou apenas que tomará as providências cabíveis e que a médica trabalha para eles há dois anos, mas nunca havia apresentado problemas do tipo.