Médica faz comentário preconceituoso sobre cabelo das baianas

Adriana Awada causou polêmica ao dizer que a água da Bahia danificou seus cabelos e que isso explicaria o porquê de as mulheres de lá usarem turbante

Foto: Reprodução

Usuários criticaram Awada por ignorar a história do uso dos turbantes | Foto: Reprodução

A médica paulistana Adriana Awada causou polêmica na Internet após insinuar que as mulheres baianas usam turbante para esconder seus cabelos, demasiadamente danificados por causa da água da Bahia. Em um post no Instagram da sua própria clínica, Adriana postou uma foto do seu próprio cabelo afirmando que eles haviam ficado duros e com aspecto de sujo quando ela os lavou enquanto passava férias no estado.

“Uma semana lavando os cabelos na água da Bahia, foi uma das piores coisas que os meus fios já viram! Ficaram duros, com aspecto de sujo, difíceis de pentear, textura quase melecada, enfim, cruel demais!”, afirmou. Ela disse ainda que usou rabo de cavalo durante os quatro dias que passou na Bahia por causa do estado em que seus cabelos estavam.

Adriana completou o texto afirmando que as baianas usam turbante para esconder cabelos danificados: “Agora já sei porque as Baianas usam turbante!!! Precisamos nos internar no salão, lavar muito, hidratar para que eles voltassem ao norma!!!”. A postagem chamou a atenção dos internautas, que criticaram duramente a médica. Adriana apagou a foto depois da repercussão.

No Facebook da clínica da médica ainda é possível encontrar comentários de várias pessoas: “Um pouco de cultura faz bem. Aprender sobre o uso dos turbantes e a importância cultural dos mesmos seria mais útil e menos deselegante”, afirmou uma delas. Outros usuários se declararam ofendidos e também criticaram as palavras da médica.

 

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Susana

Agora virou moda qualquer coisa que se expresse nas redes sociais vir um caminhão de “pessoas santas” e de “bom coração”, “paladinas da justiça”, promover a crucificação alheia. E os jornais caem em cima colocando lenha na fogueira para ver se vira polêmica e, em consequência, notícia. Com essa atitude, está chegando o tempo em que a internet será totalmente artificializada, com comentários matematicamente enquadrados nas normas do politicamente correto. Uma internet ainda mais boçal e insignificante. É do ser humano expressar suas opiniões pessoais, e não vi qualquer preconceito racial nesse comentário do post, que hoje é o alvo… Leia mais