Marido de pastora teria abusado de enteado de 5 anos, diz senador

Caso veio a público na madrugada desta quarta, quando Bianca Toledo anunciou nas redes sociais o fim de seu casamento após descobrir que o marido seria gay e pedófilo

Senador Magno Malta subiu ao plenário da Casa para fazer denúncia | Fotos Públicas

Senador Magno Malta subiu ao plenário da Casa para fazer denúncia | Fotos Públicas

O senador e pastor Magno Malta (PR-ES) afirmou, nesta quarta-feira (6/7), em plenário, que o pastor Felipe Heiderich, marido da pastora Bianca Toledo, foi preso após abusar do próprio enteado de 5 anos.

O parlamentar teria tido acesso ao pedido de prisão de Felipe pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Ainda conforme o senador, o garoto já relata todos os fatos e já foi ouvido por psicólogos e psiquiatras.

“O fato é que a pastora Bianca Toledo, casada com o senhor Felipe Heiderich, ela descobriu que esse pastor, falso pastor, estava abusando de seu filhinho de cinco anos de idade”, afirmou o senador durante pronunciamento.

A pastora Bianca Toledo, famosa nas redes por seus testemunhos após uma experiência de quase-morte, anunciou na madrugada desta quarta o fim de seu casamento, após descobrir que o marido seria homossexual e pedófilo.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, ela disse que o marido confessou que possuía “um quadro de homossexualidade latente” e teria tentado suicídio. “Ele chegou a confirmar pra mim (…) e isso me fez querer cancelar esse casamento”, disse sobre a revelação da orientação sexual de Felipe.

Em seguida, ela diz que Felipe também seria pedófilo. “Ele está acautelado por crime de pedofilia e estou aguardando a justiça do céu, a justiça da terra e clamando pelo apoio de todos vocês”, acrescenta.

Na legenda da publicação, Bianca informa, ainda, que o marido está detido na Penitenciária Laércio da Costa Pellegrino, conhecida como Bangu 1, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Segundo informações do portal “Ego”, o empresário foi preso no último dia 4 de julho pela Delegacia de Atendimento a Adolescência e Criança Vítima (Decav), em cumprimento a um mandado de prisão temporária pelo crime de estupro de vulnerável.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.