Marconi visita campus high tech na Holanda e articula parcerias com o Inova Goiás

Governador diz que há muita semelhança entre as prioridades do espaço holandês e a produção industrial goiana

Governador e a comitiva goiana na Holanda | Foto: Wagnas Cabral

Governador e a comitiva goiana na Holanda | Foto: Wagnas Cabral

Ao visitar o Campus High Tech de Eindhoven, na Holanda, o governador Marconi Perillo (PSDB) percebeu claramente que o Governo de Goiás “acertou em cheio” com a instituição, há dois meses, do projeto de inovação tecnológica de Goiás – Inova Goiás.

O Campus High Tech é um centro de excelência tecnológica com 10 mil pesquisadores que atendem hoje as demandas de 150 mil empresas holandesas e que funciona com a mesma lógica do projeto recém lançado pelo Governo de Goiás: Incentivo à pesquisa e inovação para avanço na produção. Marconi quer empenho do governo de Goiás para parcerias que implementem esse modelo em Goiás.

Para o governador, há muita semelhança entre as prioridades do Campus e a produção industrial goiana. “Temos um entendimento muito grande com a indústria e o poder público – tanto que há dois meses apresentei ao Estado o projeto Inova Goiás, com investimentos de R$ 1,2 bilhão e foco em incubadoras, start-ups [empresas novas baseadas em desenvolvimento tecnológico e inovação], centros de tecnologia e arranjos produtivos”, disse Marconi.

Aqui todo esforço intelectual é utilizado para pesquisar o futuro. O sistema, montado há 20 anos, tem evoluído de acordo com a progressão tecnológica do setor produtivo. O campus prioriza pesquisas nos setores de tecnologia para saúde, produção de energia e construção de ambientes inteligentes. No Campus High Tech são registradas, em média, quatro patentes por dia e mais de 50% das patentes registradas em toda a Holanda.

Desde os anos 1980, as companhias deixaram de trabalhar com pesquisa individuais, contratadas para este fim, para compartilhar experiências e avanços. Já neste século a globalização aproximou muito os pesquisadores e as empresas que passaram a trabalhar com inovação aberta, através da integração das start-ups.

Como o Inova Goiás já prevê convênios com instituições privadas, agências financeiras internacionais, instituições de ensino e pesquisa e com o governo Federal, o governador pediu agilidade para que a UEG e a FAPEG, com apoio da embaixada, busquem caminhos de cooperação entre o Inova Goiás de forma que a pesquisa científica e a produção industrial trabalhem juntas. Determinou ao Gabinete de Assuntos Internacionais a formalização de termos de cooperação entre as instituições estaduais e o Campus High Tech.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.