Marconi pede ao governo federal solução para concessão da BR-153

Atualmente, rodovia federal se encontra sem investimentos por parte da Queiroz Galvão, empresa que venceu a licitação, mas alega não ter dinheiro para duplicar a via

Governador durante encontro com o secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos, Adalberto Santos de Vasconcelos| Divulgação

O governador Marconi Perillo (PSDB) se reuniu na tarde desta quinta-feira (9/3) com o secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos, Adalberto Santos de Vasconcelos, no quarto andar do Palácio do Planalto, em busca de uma solução para a concessão da BR-153.

Atualmente, rodovia federal se encontra sem investimentos por parte da Queiroz Galvão, empresa que venceu a licitação, mas alega não ter dinheiro para duplicar a via.

De acordo com o plano de investimentos acertado pela empresa com o governo Federal à época da concessão, a BR-153 deveria ter sua extensão duplicada no prazo máximo de cinco anos. Dois anos depois, entretanto, nada ainda foi feito.

A empresa alega que dependia da liberação de recursos por parte do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES). O banco estatal, por sua vez, deliberou que a instituição não iria financiar nenhuma empreiteira que estivesse sob investigação na Lava Jato.

De acordo com o governador, há uma empresa americana interessada em assumir a rodovia. Ela, todavia, quer que o prazo para a duplicação continue a ser de cinco anos a partir da data em que passar a administrar a rodovia. O governo federal, porém, defende que o prazo agora seja de apenas três anos.

Na tentativa de se resolver o impasse, um meio termo tem sido discutido entre as partes para que a empresa americana assuma a BR e asfalte a rodovia o mais rapidamente possível. “Teremos uma resposta em poucos dias. Já tratamos desse assunto com a ANTT e em breve teremos uma solução para o impasse”, sentenciou o secretário.

Na audiência, o governador também tratou do desvio da BR-153 no trecho urbano da capital.  O projeto visa a construção de um desvio começando no município de Hidrolândia, passando por Aparecida de Goiânia, Senador Canedo e Goiânia. O objetivo é tirar o trânsito pesado de caminhões da área urbana da capital.

Ele pediu também que a União conceda um aditivo para que o BRT que liga Brasília a Santa Maria se estenda até Luziânia. “Seria uma medida importantíssima para atenuar o sofrimento da população trabalhadora do Entorno do DF que gasta duas horas e meia para ir e voltar de Brasília”, disse o governador.

O trem de alta velocidade entre Brasília e Goiânia também esteve na pauta do encontro: “O projeto já está muito avançado. A equipe do ministro Moreira Franco já se comprometeu em acompanhar com carinho esse projeto”.

O governador encerrou o dia de audiências em Brasília no Ministério da Aviação Civil. No local, deu prosseguimento às tratativas que visam viabilizar juridicamente a pista do aeroporto de cargas de Anápolis para que ele seja licitado. Ele esteve acompanhado do deputado federal Alexandre Baldy.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.