Manual de etiqueta para velórios

Marina Silva sorri durante sepultamento de Eduardo Campos e é criticada por especialistas em velórios. Afinal, saudade só se demonstra por meio do choro?

Foto: Márcio Fernandes|Estadão

Eu, particularmente, sou um mestre em me portar da forma contrária em certas situações. Se é pra rir, lágrimas. Se é pra chorar, risos. Quando estou triste com alguma ação, digo que tudo bem e bola pra frente. Mas sei que é assim que acontece com a maioria das pessoas, afinal o sentimento, ou seja, a vontade de rir ou chorar não deriva de uma parte do cérebro que está sob o nosso controle.

Ou talvez, como ensinou o grande mestre Cartola, “sorrir pra não chorar”. Boa tática pro imortal sambista, mas que não deu muito certo para a nova candidata à presidência do Brasil, Marina Silva. Em meio às lágrimas e homenagens no velório do ex-presidenciável Eduardo Campos, neste último domingo (17/8), um danado de um sorriso, desses de leve, resolveu aparecer no rosto de Marina.

Sorriso bonito, sincero, mas que infelizmente colocou em dúvida os sentimentos da presidenciável. Afinal, em um velório existe espaço para outros sentimentos? Já vi pessoas rirem tanto de alguma coisa que logo lágrimas começam a brotar no rosto. Mas alguém chorar até começar a rir eu nunca vi. Será por isso que as pessoas estão criticando esse sorriso de canto de boca da Marina durante o velório?

Assim, com um sorriso inocente (aparentemente) Marina passou a ser acusada pelos analistas e críticos de velórios de estar “rindo de desgraça alheia”.  Acontece que não foi isso que aconteceu. O vereador da cidade de Poá, Saulo Souza, que também aparece na foto rindo, esclareceu o motivo da ‘felicidade’ dos dois: “Ela (ex-mulher de Eduardo) relembrou, como bom nordestino, do quanto ele gostava de contar ‘causos’ e alegrar a vida de todos por onde passava. Então, sorrimos. Nós cinco”, declarou.

Nunca antes na história desse país houve regra de etiqueta para velórios e agora há. Por conta disso, pretendo propor ao contrário, meus companheiros. Declaro a partir desta data que não haverá mais decoro em velório algum. Que seja então, a partir de hoje, liberada qualquer forma de demonstrar sentimentos e que esse tenha a mesma valia como qualquer outro. Se é pra rir, risos.  Se é pra chorar, choros. Se é pra pular, voe e por aí vai.

E quanto ao caso sobre o sorriso de Marina: prefiro rir pra não chorar.

2 respostas para “Manual de etiqueta para velórios”

  1. Avatar Jose da Silva disse:

    Ja estao atacando a Marina a mando de quem. Sera que e reflexo da pesquisa Data Folha, que a Marina passou Aecio Neves.

  2. Avatar Andre Hidibertte Pereira disse:

    Até o defunto tava rindo (vide foto a esquerda).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.