Deputado pediu vistas do projeto, por temer que quórum não fosse suficiente para aprovação

Foto: Fernando Leite | Jornal Opção

Major Araújo (PRP), um dos parlamentares que pediu vista do projeto que altera o Orçamento Impositivo, explica que sua posição não mudou e que ele só fez isso por temer que quórum não fosse suficiente para aprovar a matéria. “Alguns deputados que se manifestaram favoráveis não estavam presentes”, justificou.

“Depois da ida de alguns deputados até o Palácio, depois da oferta feita pelo Governo, a verdade é essa, muitos mudaram de opinião”, afirmou sem citar nomes ou outros detalhes. Segundo ele, a administração estadual ofereceu pagar mais do que o valor do Orçamento Impositivo, por meio de cargos, emendas e outras questões, para que os legisladores votassem contra e entrassem de vez na base.

Jogo

Pontua-se que o Major Araújo faz parte da base, mas apesar disso defende o retorno do Orçamento Impositivo para 1,2%, para que os parlamentares tenham mais independência. “Lamentavelmente o jogo é assim”, afirma Araújo: “Não mudou nada. O governo passado fazia assim, o Temer também… Cada legislatura, imaginamos que haverá uma renovação, o eleitor faz seu papel, mas as coisas não mudam, cada um tem seu preço”.

Apesar dessa opinião, Major diz que o Governo possui grandes projetos e que ele permanece na base, enquanto ainda o quiserem. “Eu não vou me omitir. Vou alertar pelos erros e não abro mão de participar”, finalizou.