Maioria dos brasileiros quer que Judiciário e políticos paguem pelo rombo fiscal

Pesquisa indica que corte de benefícios seria “saída popular” para resolver déficit nas contas públicas

Em outubro de 2015, protesto da Fiesp espalhou patos de borracha no espelho d’água em frente ao Congresso Nacional | Foto: Lucio Bernardo Jr./ Câmara dos Deputados

Um levantamento divulgado nesta quinta-feira (11/1) pelo instituto Paraná Pesquisas mostra que a vasta maioria dos brasileiros defende o corte de benefícios aos políticos e a integrantes do Judiciário como a “saída” para cobrir o rombo nas contas públicas do País.

A expectativa do governo é de que, em 2017, o déficit primário — ou seja, a diferença entre tudo que se arrecada e os gastos da União — fique em torno de R$ 129 bilhões (R$ 30 bi abaixo da meta estipulada). Questionados se sabiam sobre tais números, cerca de 76% dos entrevistados disseram que sim.

Para resolver o problema, 94% apontaram que o caminho é cortar benefícios concedidos aos políticos, enquanto outros 76,3% querem fim às benesses de juízes. Contudo, apenas 37,6% defendem a mesma medida para os funcionários públicos.

No que diz respeito a aumento de impostos, mais de 93% dos brasileiros se posicionaram contrários à medida.

Veja os números:

“O sr. já ouviu falar que o governo está com um rombo, ou seja, déficit em suas contas?”

Já ouviu falar – 75,9%
Não ouviu falar – 22,1%
Não sabe/ não opinou – 2%

“O sr. apoiaria o aumento de impostos como solução para cobrir rombo/déficit nas contas do governo?”

Não apoiaria – 93,1%
Apoiaria – 4,4%
Não sabe/ não opinou – 2,5%

“O sr. apoiaria o corte de benefícios dos políticos como solução para cobrir rombo/déficit nas contas do governo?”

Apoiaria – 94%
Não apoiaria – 4%
Não sabe/ não opinou – 1,9%

“O sr. apoiaria o corte de benefícios dos juízes como solução para cobrir rombo/déficit nas contas do governo?”

Apoiaria – 76,3%
Não apoiaria – 18,6%
Não sabe/ não opinou – 5,1%

“O sr. apoiaria o corte de salários dos funcionários públicos como solução para cobrir rombo/déficit nas contas do governo?”

Não apoiaria – 56,6%
Apoiaria – 37,6%
Não sabe/ não opinou – 5,9%

A pesquisa foi realizada com 2.422 brasileiros, em todos os Estados, entre os dias 10 e 13 de dezembro de 2017. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.