Maguito Vilela tece críticas a Júnior Friboi e declara que apoiará Dilma em qualquer circunstância

*Colaborou Ketllyn Fernandes

“O político sério e responsável tem que se preocupar com sua cidade, seu Estado, seu país”, disse o prefeito peemedebista. “Quem que não tem paciência para ser criticado, não dá conta”

maguito friboi

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB), teceu duras críticas ao ex-pré-candidato ao governo pelo partido, Júnior Friboi em coletiva no final da manhã desta quarta-feira (4/6) na sede do PMDB de Goiás, no Setor Aeroporto. De forma velada, ele, que era considerado um dos apoiadores do empresário, disse que quem não tem “paciência e habilidade” para o processo político acaba se afastando. A declaração foi feita quase duas semanas após a divulgação de uma carta do empresário retirando-se da pré-campanha e alguns dias depois de ele afirmar que sua saída do processo eleitoral deste ano é definitiva.

“Cada um nasce para uma vocação. A decisão não é como em uma empresa. Não depende só de um empresário”, afirmou. “Na política depende-se de um Estado inteiro, de líderes, de prefeitos, de deputados. É a arte da conversação, da costura. Quem tem paciência e habilidade para isso consegue. Quem não tem, acaba se afastando.”

O prefeito continuou a sessão de puxões de orelha dizendo que Friboi não demonstrou estar preocupado, de fato, com suas atribuições enquanto postulante a um cargo público. “O político sério e responsável tem que se precoupar com sua cidade, seu Estado, seu país. O povo quer infraestrutura, água, esgoto, saúde, educação. O político que não tem paciência para ser criticado, não dá conta”, alfinetou.

Maguito também garantiu ser mito as histórias de que Iris não permitiria que outros peemedebistas deslanchassem na política quando a empreitada não fosse de interesse do líder. “Essa história de que o Henrique Meirelles foi tirado do processo é conversa. Sou a maior testemunha disso. Se ele quisesse ser candidato ele teria sido candidato. Ele teve um mês para trabalhar isso, e o Vanderlan da mesma forma. Se ele quisesse, ele seria hoje o candidato pelo PMDB”, garantiu.

O prefeito aproveitou o assunto para dar mais um cutucão em Friboi, mas dessa vez usando sua própria trajetória como pano de fundo. “Eu tive todas as oportunidades no partido e passei por todos os cargos. Todo mundo tem oportunidade dentro do PMDB”, declarou. “Eu saí de engraxate em Jataí e fui senador e governador, porque eu quis lutar por isso. Quem por uns dias luta e depois joga a toalha não quer ser político.”

Apoio a Dilma

Sobre a possibilidade de que o PMDB goiano deixar de apoiar a candidatura da presidente Dilma Rousseff (PT), o que consequentemente resultaria no não apoio à postulação do peemedebista Michel Temer à vice-presidência, Maguito é enfático: “Não vou romper com a presidente Dilma, vou apoiá-la em qualquer circunstância”, disse.

“É uma mulher que tá na luta, saiu das trincheiras mais humildes da população brasileira, chegou à presidência e está fazendo o melhor trabalho que poderia fazer pelo Brasil”, defendeu o prefeito. “Se o PMDB goiano disser que vai apoiar outro candidato eu vou respeitar, mas vão ter que respeitar a minha posição”, enfatizou.

Ele pontuou que caso Temer se candidatasse à presidência, não hesitaria em apoiá-lo, mesmo que isso o colocasse numa situação de oposição à Dilma. “Sou homem de partido, mas quando o partido não tem candidato à presidência da republica, todo mundo está livre para fazer sua posição para presidente.”

Maguito pontuou que Dilma tem o ajudado muito em sua administração em Aparecida e, para ele, deixar de apoiar sua reeleição seria um ato de ingratidão e injustiça.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.