Ex-governador de Goiás não assumiu cargo de colaborador da Prefeitura de Aparecida de Goiânia porque inviabilizaria postulação de qualquer candidatura em outubro deste ano

Gustavo Mendanha e Maguito Vilela | Foto: Divulgação / Facebook

Em 2016, o então prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), 69 anos, anunciou que estava se “aposentando” e que não participaria mais de eleições. Mas uma candidatura em 2018 não está totalmente descartada, pelo menos não por parte do partido.

[relacionadas artigos=”120149″]

Maguito assumiria um cargo de colaborador eventual da prefeitura de Aparecida de Goiânia, comandada por seu afilhado político Gustavo Mendanha (MDB), mas o prefeito cancelou a nomeação porque o ato poderia inviabilizar possível postulação.

“Hoje sabemos que Maguito é um nome muito bem cotado para o Senado, uma primeira suplência ou até deputado federal, mas para isso precisaria se descompatibilizar no próximo dia 7 de abril. Por isso, decidimos que é melhor que ele esteja desimpedido, caso haja alguma decisão do partido nesse sentido. É mais uma precaução”, disse o prefeito.

Apesar de ter dito que se aposentaria, Maguito deixou claro que não deixaria as articulações de bastidores e continuou atuando fortemente pela pré-candidatura do filho, deputado Daniel Vilela (MDB-GO) ao Governo de Goiás.

O cargo que ocuparia na prefeitura como “colaborador” era não remunerado e teria a função de captar recursos, convênios ou benefícios para a cidade. A indicação de Maguito foi feita por causa das articulações empreendidas pelo ex-prefeito, principalmente em viagens à Brasília.

“Não ser mais candidato é uma vontade já expressada por ele, mas conversamos com ele e achamos que, neste momento, é melhor deixar a possibilidade em aberto”, disse Mendanha.