Mãe que matou próprio filho de 2 anos em fogueira diz que ficou “cega de raiva”

Caso chocante aconteceu no interior de Goiás. Assassina jogou criança ainda viva no fogo e o segurou com cabo de vassoura 

Mãe da criança durante depoimento | Foto: divulgação

Suspeita de matar o próprio filho de apenas dois anos, Adriana Coutrim Moreira confessou, em depoimento na manhã desta sexta-feira (30/6) à Polícia Civil do Estado de Goiás, que jogou a criança viva em uma fogueira.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Ronaldo Pinto Leite, a mulher contou que estava limpando o quintal no fundo da fazenda em que mora, em Piranhas (a 310 km da capital), quando o garoto começou a chorar e “pirraçá-la”.

Ao tentar controlar a situação, ela alega ter visto o rosto do pai biológico do menino e, por isso, ficou transtornada. Colocou o garoto sentado em um tronco de árvore próximo ao local onde havia juntado o monte de folhas. Jogou álcool e ateou fogo no entulho.

A criança continuou dando birra e, segundo ela, começou a lhe bater, dando tapas. Neste momento, a mulher diz ter ficado “cega de raiva” e atirou o menino na fogueira. Queimando, ele começou a gritar e saiu correndo. A mãe, então, o agarrou e jogou novamente no fogo; Dessa vez, para garantir que ali ficasse, pressionou um cabo de vassoura contra o pescoço da vítima, que logo veio a óbito.

Adriana Coutrim Moreira teve a prisão temporária decretada por 30 dias e será indiciada por homicídio duplamente qualificado.

 

4
Deixe um comentário

3 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Edilza campos

Deus do céu que demônio e eu aqui caçando dinheiro para tentar iniciar um tratamento para arrumar um

Guilherme

Bom eu imagino o que o menino passo i acho que nesse caso ela não deveria ser presa tinha que fazer uma figueira em praça i queima ela até ela ter 98% queimado i deixa lá viva

Simone

Não há como não expressar um sentimento de ódio revolta por essa alma demoníaca!!!esse anjinho já está no céu e essa mulher deveria sentir a mesma dor q a criança sentiu um ser indefeso

Daniele

Esse é o tipo de pessoa que na minha opinião não merece viver…