Coordenador de marketing de Iris Rezende critica discurso marconista de que o peemedebista está no passado

Publicitário Luiz Felipe Gabriel afirma que o principal candidato oposicionista não vai se ater a discursos pré-fabricados pela base aliada ao governo e que o eleitor está maduro para compreender coligações como a PMDB-DEM-SDD

luiz feliz verus

Luiz Felipe Gabriel: ““Querem colocar essa pecha de antiquado no Iris. É um discurso que vem sendo imposto e a imprensa acata” | Foto: Jornal Opção

Coordenador de marketing da campanha majoritária da chapa PMDB-DEM-Solidariedade, o publicitário Luiz Felipe Gabriel, proprietário do Instituto Verus de Pesquisa, trata com naturalidade o teor do discurso do candidato a governador Iris Rezende, que, como ex-governador e ex-prefeito, além de ex-ministro da Agricultura e da Justiça, sempre remete a fatos do passado. “Quem não tem passado não tem o que oferecer de perspectivas futuras”, enfatizou em entrevista ao Jornal Opção Online na manhã desta quinta-feira (3/7), emendando que seu principal adversário, o governador Marconi Perillo (PSDB), também enfocará “seus feitos.”

“Querem colocar essa pecha de antiquado no Iris. É um discurso que vem sendo imposto e a imprensa acata”, diz. Para o publicitário, o passado se faz presente nos discursos políticos no sentido de referência à capacidade que se tem de realizações futuras.

Luiz Gabriel ressaltou que diferentemente dos pleitos anteriores que disputou, o PMDB de Iris Rezende chega com uma coligação forte (DEM, SDD, PCdoB, PTN e PPL), que “une todas as cores partidárias.” Perguntado sobre a brecha a críticas da base aliada que se abriu com a união da legenda ao democrata Ronaldo Caiado, candidato ao Senado, tida como incoerente devido ao passado de incompatibilidades, ele disse: “As críticas feitas ao PMDB são encaradas da mesma forma que ele [Ronaldo Caiado] foi crítico do PSDB e do Marconi.”

O publicitário justifica a forma de agir do democrata ao fato de ele “ser uma força política independente” e “sólida” em Goiás. “Caiado atua assim conforme o que ele julga ser o melhor para o Estado”, complementou, afirmando se tratar de “jogadinha” as críticas de governistas. “Na base a gente sabe que tem político que fica falando bem de outro só com holofotes, mas isso não pega mais o eleitor de hoje, que já está maduro e sabe reconhecer o jogo político das composições de aliança”, analisa.

Escolha por Dimas Thomas e equipe

“Todos os currículos dele publicados até agora em Goiás estão errados”, iniciou Luiz Felipe ao tratar do afunilamento pelo nome do publicitário Dimas Thomas como marqueteiro da chapa encabeçada por Iris Rezende, como adiantado pelo Jornal Opção Online na última terça-feira (1º). O coordenador de marketing de Iris Rezende se diz “assustado” com o provincialismo da mídia local, referindo-se especificamente a um blog goiano que aborda fatos políticos.

Embora atue quase sempre com políticos do Distrito Federal, por passar a maior parte de sua vida em Brasília, Dimas Thomas é goiano de Iporá, conforme pontuou Luiz Gabriel. “É um dos melhores publicitários com que tive a oportunidade de trabalhar, conhece nossas características”, ressaltou. Ambos atuaram junto em 1998 para a campanha ao governo de Roraima por Teresa Jucá, esposa do senador Romero Jucá.

Goianidade

De acordo com ele, 60% da equipe de marketing e campanha da chapa PMDB-DEM-SDD será composta por goianos. “O restante estamos preenchendo com talentos nacionais, com destaque pela técnica e profissional. Mas o grosso da nossa tropa será de muito pequi com guariroba”, conta.

A perspectiva é que a partir da próxima semana as equipes de todas as áreas estejam alinhadas no mesmo mote da campanha, que se centralizará na exploração de que o “novo” não corresponde, necessariamente, a ser “jovem” fisicamente.

Sem competir com a Copa

Segundo Luiz Felipe, seria infrutífero iniciar a campanha política enquanto o principal evento futebolístico do mundo acontece no Brasil. “[A política] seria uma pauta intrusa, porque o interesse do eleitor pela eleição começa mesmo com o início do horário eleitoral, a partir de agosto”. Desse modo, a previsão é que a campanha da majoritária peemedebista se inície a partir do dia 15 próximo, dois dias após o fim do mundial, mesma época das adversárias. “Com o Brasil campeão, é claro, para motivar”, descontrai. Neste interim, reforça o publicitário, dará tempo de concluir a confecção dos materiais gráficos.

A partir deste quinta-feira, Iris Rezende inicia sua agenda de candidato com visita a Uruaçu, onde pretende reunir-se com adventistas; sendo que no sábado estará em Catalão e no domingo junto a atividades católicas em Trindade. “É para já começar a atender a demanda reprimida de populares que o apoiam”, comenta o coordenador de marketing.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.