Luis César Bueno defende expulsão de Tayrone e Felisberto: “Não tiveram compromisso com o PT”

Presidente metropolitano do partido revelou, ainda, que o departamento jurídico avalia se vai pedir os mandatos dos vereadores “infiéis” 

Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Deputado Luis Cesar Bueno durante posse no último domingo (1º/2) | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Sobre a expulsão dos vereadores Felisberto Tavares e Tayrone di Martino do partido na última sexta-feira (30/1), Luis Cesar Bueno defendeu que essa foi uma medida coerente. Segundo o deputado, os parlamentares são eleitos “dentro de uma visão de coerência ao projeto político em que disputou a eleição”.

Ao irem contra ao projeto do partido, os vereadores não tiveram compromisso com a legenda e a expulsão veio por conta disso. “O diretório seguiu todo o processo estabelecido pela comissão de ética e nós queremos que a coerência prevaleça como sempre prevaleceu dentro do PT, obedecendo o princípio da nossa democracia interna construída ao longo desses 35 anos”, afirmou Luis Cesar.

Para ele, isso mostra que o partido “não se rende às controvérsias do parlamento quando algum dos seus membros foge do projeto que foi defendido”. O que prevaleceu, garantiu o presidente metropolitano do partido, foi o cumprimento do estatuto e do programa do PT.

De acordo com o deputado, a assessoria jurídica do partido ainda está analisando se vai requisitar o mandato dos dois vereadores, já que esse é um direito garantido pela lei da fidelidade partidária.

União das oposições

Líder do PT na Assembleia Legislativa do Estado, o deputado Luis Cesar Bueno afirmou, ainda, que não vai abrir mão da liderança que o partido determinou para ele, mesmo com José Nelto (PMDB) demonstrando que quer ser líder da oposição em geral.

“O que precisamos ter é unidade das nossas lideranças. A liderança do PT será garantida como uma voz de oposição e estaremos conversando com a liderança do PMDB também, além do que nós estamos tendo alguns conflitos no encaminhamento e é importante que as bancadas estejam separadas”, pontuou.

O presidente metropolitano do PT disse também que vai atuar para que os deputados resgatem a autonomia de fiscalizar e a de elaborar leis. De acordo com ele, os deputados votam leis importantes que depois são vetadas.

“As leis que não são vetadas são as que estabelecem Medalha do Mérito Pedro Ludovico Teixeira e título de cidadania para alguém. Ora, que poder é esse?”, questionou o deputado. Para Luís Cesar, os deputados devem lutar pela autonomia do poder para fazer com que a Assembleia seja, efetivamente, o Poder Legislativo.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.