Líder do Governo insiste em encampação da Enel e diz que, se preciso, acionará Governo Federal

Isso, porque, antes de ser privatizada, a maior parte da Celg D pertencia à Eletrobrás — 51% —, o que poderia fazer com que o projeto de Lei perdesse a legalidade

Deputado estadual Bruno Peixoto (MDB) | Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

O líder do Governo, deputado estadual Bruno Peixoto (MDB), insiste no projeto de Lei que propõe a encampação da Enel Goiás, isto é, a rescisão do contrato que possibilitou a venda da Celg D para a empresa italiana. Questionado sobre possíveis irregularidades jurídicas, Bruno afirma que a procuradoria da Assembleia Legislativa de Goiás vê o projeto como possível e que, se preciso, vai acionar o Governo Federal.

Isso, porque, antes de ser privatizada, a maior parte da Celg D pertencia à Eletrobrás — 51% —, o que poderia fazer com que o projeto de Lei perdesse a legalidade, já que a encampação teria que ser feita por meio da estatal do Governo Federal. O que Bruno descarta.

“Esta é uma medida dura, drástica, mas é a resposta que o poder Legislativo, em sintonia com o poder Executivo, têm que dar a essa empresa Enel que desrespeita a população do Estado”, assinalou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.