Leitores do Jornal Opção contam experiência com o jejum intermitente

Maioria relatou bons resultados e recomendou o método. Confira

Depois da publicação de reportagem especial sobre a prática muito utilizada para perder peso, o chamado jejum intermitente, muitos leitores do Jornal Opção comentaram sobre a sua experiência com a dieta. A maioria relatou bons resultados e recomendou o método.

No jejum intermitente, a pessoa come apenas quando sente fome e, por isso, o jejum pode variar entre oito, dez, 12 ou mais horas. Em entrevista, a endocrinologista Leandra Negretto disse que a prática é indicada para pessoas que conseguem permanecer muitas horas sem ingerir alimentos ou ingerindo pouquíssima quantidade de comida, desde que não haja contraindicações.

Confira abaixo os relatos de nossos leitores:

Patrícia – Eu fiz fiz o jejum de 24 horas, tipo eu só almoçava e durante meu almoço comia de tudo. Mas também deixei de comer açúcar, consumir bebidas alcoólicas e massas brancas. Durante dois meses perdi 15 kilos e hoje super indico.

Coach Wesley Lobinho – Primeiro, você tem que saber de si próprio, se é capaz de ficar altas horas sem se alimentar, ver se não tem problemas de hipoglicemia, diabetes ou o uso de insulina. Se tiver nos conformes, eu indicaria você começar a fazer um jejum de 8 a 10 horas, iniciando no período noturno. Com o passar do tempo você vai se adaptando e vai aumentando as horas de jejum. Vale lembrar também saber qual é seu objetivo: se é emagrecimento, definição ou hipertrofia. Pois o tipo de alimentação deverá ser de acordo com o seu objetivo. Seria indicado você procurar auxílio de um nutricionista e um profissional da Educação Física.

Edilza – Olha, eu já faço há cinco meses. Estava com 108 kilos e agora estou com 89. Sentia dores nos pés 24 horas e agora não sinto mais. Graças a Deus que conheci o jejum intermitente.

Emerson – O protocolo mais usado é o de 16 horas… Jantando às 20 horas e somente voltando a comer ao meio dia.

Sandriza – Há a necessidade de avaliar se já hipo ou hipertireóide, pois longos períodos em jejum podem levar a irritabilidade e a nódulos de tireóide. O importante não é quando comer e sim o que comer e quantas são as porções.

Luzia – Olha, eu paro de comer às 21 horas e vou até às 13 horas, e das 13 horas às 21 horas eu como saladas, verduras, arroz integral e faço exercício físico todos os dias. Em três meses, perdi 8 quilos.

Solange – Estou fazendo o jejum há 20 dias, já emagreci 5 quilos e estou me sentindo com mais energia e animo para trabalhar. No começo, é difícil, mas depois de três dias você vai acostumando a comer menos.

Eduardo – Fiz o jejum, porém seguido por duas semanas. Baixei de 90.5 kg para 84 kg. Agora, só estou mantendo o peso. Não alterei em nada minha refeição. Só diminui a quantidade e estabeleci um horário. Almoço às 12 horas, janto às 19 horas. Nos intervalos apenas água e café sem açúcar. Parece difícil, mas me adaptei muito bem. Melhorou meu sono, concentração no serviço, disposição para o trabalho e na prática de esportes. Não estou fazendo mais o jejum porque perdi o peso que queria.

Elyane Gomes – Eu faço jejum intermitente a cinco meses e já perdi 12 quilos e aprendi a me controlar em relação a comer em excesso. Fiz a dieta “low carb” junto e estou super satisfeita.

Maria Suely da Silva – Meu organismo já funciona conforme esse jejum, me sinto saciada boa parte do dia, tanto é que nunca consegui me alimentar de 3 em 3 horas, mas também não sou magra, acho que é porque tenho intestino preso.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.