Laudo do IML constata Alzheimer em estágio avançado em Joaquim Roriz

“Correio Braziliense” publica, com exclusividade, resultado de uma perícia pedida pela Justiça para avaliar sanidade mental do ex-governador do DF

Família Roriz, durante homenagem a Joaquim Roriz, em 2015 | Foto: Tony Winston/ Agência Brasília

O jornal “Correio Braziliense” publica, nesta quinta-feira (1º/2), um relato dramático da situação em que vive a família do ex-governador do Distrito Federal e ex-prefeito de Goiânia, Joaquim Roriz.

Um dos maiores mitos políticos do País foi diagnosticado com um quadro de Alzheimer avançado, que afeta sua percepção da realidade e interfere até sobre sua autonomia.

Segundo a reportagem, o laudo foi feito pelo Instituto de Medicina Legal do Distrito Federal (IML-DF), a pedido da 2ª Vara Criminal de Brasília, como parte de um processo criminal contra Roriz. O resultado comprovou que ele não tem capacidade de compreender as denúncias de corrupção às quais responde.

Como parte da análise, os peritos entrevistaram a esposa do ex-governador do DF, Weslian Roriz.

“A doença começou a se agravar há oito anos. Desde 2015, piorou bastante. Ele começou a se mostrar melancólico, foi visto chorando pelos cantos, impaciente, muitas vezes sem reconhecer pessoas próximas da família, como filhas e netos, e a própria casa. Há três anos, Roriz foi submetido a uma cirurgia na coluna em São Paulo, quando começou a usar bengala e depois passou para a cadeira de rodas por conta da dor. Nas visitas, os familiares anunciavam antigos aliados e amigos, que eram tratados como estranhos. Dona Weslian contou que Roriz desconhece dinheiro, não sabe o que acontece na política e a chama frequentemente ao longo do dia”, escreve a repórter Ana Maria Campos.

Ainda de acordo com a esposa, o ex-governador, que tem diabetes e faz hemodiálise diariamente, nem sequer percebe que teve parte da perna e alguns dedos do pé amputados.

O “Correio” conta ainda que, durante o exame do IML, Joaquim Roriz não demonstrou qualquer emoção, em nítida apatia. Não respondeu a questionamentos do médico e manteve-se a maior parte do tempo com pouca expressão facial.

Histórico

Joaquim Roriz foi vereador e prefeito de Luziânia (GO), prefeito de Goiânia (GO), deputado estadual e federal por Goiás, além de vice-governador do Estado.

No entanto, foi no Distrito Federal que consolidou a carreira política, tendo sido quatro vezes governador. Da primeira vez, em 1988, quando os eleitores ainda não votavam para escolher o chefe do Poder Executivo local, foi nomeado pelo então presidente da República, José Sarney (PMDB).

Assumiu a chefia do Palácio do Buriti por meio do voto direto em 1991, 1999 e 2002. Em 2006, foi eleito senador, cargo ao qual renunciou em julho de 2007, para escapar do processo de cassação do mandato aberto para apurar indícios de desvios milionários dos cofres do Banco Regional de Brasília, entre 2004 e 2007. Como ainda não tinha sido julgado, o caso prescreveu quando Roriz completou 80 anos.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.