Laudo confirma que produto contido em embalagens enviadas a Semas era, de fato, sabão

À época, chegou a ser cogitada a possibilidade de que pacotes estivessem preenchidos com sal

Foto: Reprodução

Conforme mostrado pelo Jornal Opção, a Polícia Civil informou, em meados de junho, que foi lavrado um boletim de ocorrência sobre o caso da carga de sabão enviada à Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) de Goiânia.

A dúvida era: o produto contido nas embalagens era, de fato, sabão? Com base no laudo definitivo, a Polícia Civil informou, na manhã desta quinta-feira, 4, que sim. A qualidade do produto é que levou ao entendimento que poderia se tratar de outro material.

Foram apreendidos, à época, 181 sacos plásticos com 5 kg do material em cada um. Destes, seis foram enviados para exame pericial bioquímico. Se confirmada a presença do sal nas embalagens a adulteração poderia caracterizar crime de fraude a licitação.  

O caso segue sob investigação na Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap) pelo delegado Ricardo de Pina. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.