Pré-candidato à reeleição, deputado justifica que fez a mudança de partido antes da vigência da lei de fidelidade partidária

Deputado estadual Karlos Cabral – Foto: Denise Xavier

O deputado estadual Karlos Cabral – eleito pelo PT e hoje no PDT – disse que está “absolutamente confiante” que irá vencer a ação movida pelo Partido dos Trabalhadores que requer o atual mandato. Em caso de vitória dos petistas, a suplente Cassiana Tormin assume como deputada.

O líder político do Sudoeste goiano havia disputado eleição pelo PT em 2014, quando ficou como suplente, e, na disputa pela Prefeitura de Rio Verde, trocou o partido por outra legenda. Entendendo que o mandato é do partido, e não do deputado, a cúpula do PT pediu sua cassação, inicialmente autorizada pela Justiça. O processo já está em fase de recurso.

Na última semana, uma sessão de julgamento foi adiada por questões técnico-jurídicas. De acordo com o deputado, o processo corre em fase de recurso “absurdamente na Justiça comum”.

Em entrevista ao Jornal Opção, Karlos Cabral afirmou que fez a mudança de partido antes da vigência da lei de fidelidade partidária. “Minha posse foi legítima. A Assembleia cometeu ato ilícito ao meu dar posse e não dar à minha suplente”, afirmou.

Apesar de confiar na vitória, o deputado garante que irá exercer todos os direitos de recurso caso a ação não seja a seu favor. “Mas duvido que não seja”, concluiu.