Juventude do PSDB questiona contas da UNE e quer retomar comando da entidade

Em Goiânia, executiva visitou o Jornal Opção e revelou os detalhes sobre a CPI da UNE, que deve ser aberta na Câmara 

Paranaense Henrique Vale, presidente da Juventude do PSDB | Foto: Renan Accioly / Jornal Opção

Paranaense Henrique Vale, presidente da Juventude do PSDB | Foto: Renan Accioly / Jornal Opção

A Executiva Nacional da Juventude do PSDB esteve em Goiânia na última semana para acertar os detalhes do congresso que será realizado em maio no Centro de Convenções da capital goiana. O evento contará com as presenças do senador Aécio Neves (MG) e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Em visita ao Jornal Opção, o presidente nacional da JPSDB, Henrique Vale, contou como pretende conduzir seu mandato e revelou que uma das prioridades da nova diretoria será o enfrentamento direto à União Nacional do Estudantes (UNE).

Atualmente posicionada contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), a entidade é apontada pelo jovem como “a melhor representação do fisiologismo político que o governo federal implanta nos espaços onde ocupa”. Para ele, as pautas deveriam ser direcionadas à defesa dos estudantes, mas o que se vê é uma entidade que recebe “vultuosos recursos” para defender o Planalto.

“Mesmo quando há cortes enormes em programas do governo voltados à políticas públicas educacionais, como o Fies, ProUni e os próprios cortes institucionais de custeio do Ministério da Educação, que precarizam as universidades federais e prejudicam milhares de jovens”, critica o tucano e completa: “Na mesma semana em que Dilma corta R$ 10 bilhões da Educação, a UNE vai às ruas defender o governo. Na mesma semana em que praticamente oferece o Ministério da Educação como moeda de troca ao PP. É vergonhoso.”

E é justamente por isso que a Câmara deve instaurar, nos próximos dias, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai questionar as prestações de contas da UNE, bem como o destino dos “milhões” recebidos do governo e de empresas públicas. “Todos as entidades que recebem verbas públicas precisam prestar contas, a UNE não faz isso. Queremos, como estudantes, que seja apresentado o destino de nossos recursos”, argumentou.

Encabeçada pelo deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), a CPI da UNE já conta com quase 230 assinaturas e teve adesão em massa de parlamentares do PSDB. “Abraçamos a causa e ajudamos, por meio do nosso vice-presidente, o goiano Pedro Egídio, a ter o número suficientes para que a comissão seja aberta”, comemorou.

“UNE Não Nos Representa”

Ian Leal, secretário de Mobilização, critica atuação política da UNE | Foto: Renan Accioly

Ian Leal, secretário de Mobilização, critica atuação política da UNE | Foto: Renan Accioly

Secretário Nacional de mobilização, Ian Leal também anunciou ao Jornal Opção que a JPSDB lançará, em breve, um projeto nacional chamado “A UNE Não Nos Representa”. “Lançaremos uma carta aberta com assinaturas de vários Diretórios Centrais dos Estudantes (DCEs) por todo o País explicando que nós não nos sentimos representados pela atual gestão da UNE, comandada por Carina Vitral”, explicou.

Segundo ele, o País passa por um momento crítico, de grande dificuldade e a UNE se posta apenas como defensora do mandato de Dilma. “Isso é inaceitável”, rebateu. Leal rememorou um episódio antes da votação do impeachment, quando participou de um debate entre favoráveis e contrários ao processo. “Sabe quem estava lá defendendo o PT? Isso mesmo, uma representante da UNE”, disse.

A tese dos jovens tucanos é que a UNE é uma entidade sindical e representa os estudantes, só que acabou “se vendendo para o governo federal”. “E só defende o que o governo quer que seja defendido. Não nos sentimos representados”, lamentou o secretário.

Contudo, os jovens tucanos deixaram claro que não estão interessados em formar uma “nova UNE” ou alguma entidade que defenda os estudantes, como a UJE (União de Jovens Estudantes do Brasil). “Queremos uma UNE independente, que defenda o interesse dos estudantes do Brasil. Até porque temos um senador do PSDB, José Serra, que foi presidente da UNE. Nós não queremos destruir essa história que o PSDB ajudou a construir”, arrematou Ian Leal.

Participaram da entrevista também, o vice-presidente nacional da Juventude do PSDB, Pedro Egídio; Oberdan Matos, integrante da Juventude Estadual do PSDB de Goiás; Breno de Freitas e Jury Goldfeld, ambos da Juventude Municipal de Goiânia.

Juventude do PSDB reunida no Jornal Opção | Foto: Renan Accioly

Juventude do PSDB reunida no Jornal Opção | Foto: Renan Accioly

CPI da UNE
No site do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), a explicação para a CPI que vai investigar a UNE se baseia em uma consulta a dados oficiais desde 2006. Segundo ele, a UNE já recebeu quase 60 milhões de reais, entre doações de estatais, transferência direta do governo e patrocínio de ministérios, somados ao arrecadado por venda de carteirinhas de estudante, das quais mantém monopólio.

O parlamentar diz que há “notas fiscais frias”, referente a convênio que bancou a caravana estudantil da saúde no valor de R$ 2,8 milhões, que teria sido comprovado pelo TCU. “Além disso o Ministério Público do TCU detectou gastos com compra de cerveja, vinho, vódca, uísque e outros estranhos à atividade do congresso estudantil”, acusa.

Feliciano fala, ainda, da construção de um edifício em área nobre do Rio de Janeiro, no valor de R$ 65 milhões de reais, que configura “um flagrante desvio de finalidade, pois pretende usar parte do prédio e sublocar o restante.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.